quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Fazer mais

Que tal a nova diretoria gremista?

Chegou fazendo limpa na administração, empilhando vice-presidentes de confiança e deixando de lado outros que, se não são um primor de pessoa, pelo menos haviam iniciado coisas boas.

Eu gostei do fato da oposição ter vencido. Odone, mesmo que tenha conquistados boas coisas (recolocou o Grêmio no topo do futebol nacional depois da segundona), devia sair, dar lugar para outras idéias simplesmente pelo fato da “renovação”.

Só que, primeiro Duda Kroeff mandou embora o Rodrigo Caetano, homem que fazia grande trabalho nas categorias de base e também cuidava do departamento de futebol junto de André Krieger. Kroeff trouxe Mauro Galvão e este não teve tempo suficiente para provar se justifica o alto salário. Mas pode ser bom.

Kroeff também trouxe Alex Mineiro, Herrera e Jadilson (as duas últimas já com Galvão no cargo): boas contratações. Manteve, ajudado ou não pela tal crise, Tcheco, Souza, Léo, Réver e Victor. Perdeu Mattione e Rafael Carioca. Manteve Seu Celso. Balanceando, estava com crédito.


Mas, começou a perder moral com esta história de poupar jogadores e a palhaçada de disputar o Gauchão com time júnior. Fazer isso é não honrar os pampas, é se omitir, é desprezar a história do próprio clube. Além do mais, é entregar mais um Gauchão para os colorados. Lembram das estatísticas? Se não, elas serão lembradas no futuro por alguém.

Quase ao mesmo tempo, sai a notícia de que o ex-presidente Odone pedira desligamento da diretoria da Grêmio Empreendimentos, a qual ele idealizara junto de seus sub-chefes de confiança para tocar a construção da Arena. Odone merecia a presidência da GE, mas ela já havia sido delegada por Kroeff a Adalberto Preis. Odone não merecia, por interesses próprios, ficar de fora da construção da Arena.

Tudo isso faz parecer que Kroeff quer se promover e promover seus comparsas nas paletas do Imortal. Não que Odone não tenha feito algo parecido. Não sei, posso estar sendo ingênuo demais, mas parece ter trabalhado para o Grêmio sempre. Pode até ser que ele tenha sido daqueles “rouba, mas faz” que têm por aí. Pode ser, mas fez.

Duda precisa trabalhar mais e gargantear menos. Que trate de trazer Maxi Lopez de uma vez por todas e Renato para dar uma ajuda na meia-cancha. E que bote o time pra jogar. Os caras nem pegaram no pesado ainda e já estão ganhando folga.

Obino, o pior presidente da história tricolor (2003, 2004), chegou a fazer discursos parecidos, ameaçando o Gauchão e coisas mais. Ficou marcado por enaltecer o site e o ônibus do Grêmio no ano em que o time caiu para a Série B.

Que Kroeff tenha outro rumo.
_________

Enquanto isso, no meio da coca boliviana, o Boyacá Chicó/Colômbia (nem eu posso com esse nome!) meteu três no Aurora/Bolívia pela abertura do Grupo 7 da Libertadores, aquele que vocês estão exaustos de saber que é o do Grêmio.

Dizem os analistas que o clube colombiano jogo muito pelas pontas e tem no chute de fora da área sua principal arma. O grande nome do jogo foi Antony Tapia, que marcou os dois primeiros gols da equipe colombiana. Adivinha como? Chutes de fora da área. O outro foi de Juan Mahecha.

Veremos, o Grêmio estréia daqui a duas semanas, contra o Universidad do Chile, no Olímpico Monumental.

3 comentários:

Gonçalves disse...

Olha Mau, não sei ao certo, mas a parte politica mesmo que haja grupos não concordando em alguns fatores ou resoluções, jamais deve rachar em demasia ou partir de maneira ferrenha em interesses pessoais ou rusguinhas internas...

...acredito que no Inter isso pode também existir, mas eu acho que numa porcentagem pequena que acaba não afetando os resultados de campo e a indignação por completo do torcedor, já no Grêmio há casos estranhos, tipo o tal cheque da ISL que até hoje ficou meio abafado e também a retirada do projeto Arena daquele camarada que estava desde seu inicio a frente da empreitada, isso são coisas muito estranhas e aquelas que aparecem perante o público, sabe-se lá o que não fica visível e que acaba afetando os assuntos de campo.

Acho que é ruim dirigentes tido como idolos acabem meio que "abandonando o barco" em troca de alguns que ainda buscam uma confiança, em parte deveria haver um equilibrio entre os grupos, pois ae todas as partes interessadas ao Clube sairiam ganhando.

André Colombo disse...

Achei que a Arena iria afundar na Vila Areia, mas pelo visto nem vai chegar tão longe.
"Mau so para me afirmar como um Colorado chato, não fica bravo comigo não". AHHAhHAHAHa

Mau Haas disse...

Fala André.... não fico de cara contigo, fico de cara quando perco GRE-NAL... hehehe

Abraço!