terça-feira, 30 de junho de 2009

A(s) Diferença(s) da final

Se o maestro estiver inspirado (e ele gosta de partidas guerreadas desse jeito), o jogo vai fluir e chegar até...

O nosso Obama, artilheiro da temporada e perfeita síntese do estilo de jogar futebol da Academia do Povo! A mística da 7 está em Taison, que finalmente terá a companhia do...

Usain NILMAR Bolt Colorado! O centroavante (há controvérsias...) mais técnico surgido nos últimos anos no Brasil está de volta, compondo o Power Trio Vermelho! Mas tudo isso só funciona com...

A liderança moral, técnica, tática, pulmonar e "espírita" de El Cholo Guiñazú!

E além disso, o mais importante de tudo para que a taça fique no Rio Grande do Sul:

A NAÇÃO VERMELHA!

Vamo Vamo Inter!

Ps.: Dois meias NÃO TITE! Coloca o Glaydson, improvisa o Danny como primeiro volante liberando o Magrão e o Cholo, sei lá... Mas Andrezinho e D'ale juntos NÃO! No segundo tempo, precisando de uma falta magistral (QUARTAS-DE-FINAL...) beleza, mas desde o início é suicídio, ofensivo e defensivo. Não decepciona Professor...

segunda-feira, 29 de junho de 2009

Se não viu, não perca

Quase que eu não vejo essa.
E como tu, leitor do Grenalzito, talvez não tenha visto também, reproduzo abaixo parte da grande entrevista com o Felipão publicada pelo Globoesporte.com.

O entrevistador foi Renato Maurício Prado. E Felipão falou muita coisa, na boa, na caruda, FElipão total.

Copa 2014
- Treinar o Brasil em 2014? Deus me livre! Essa vai ser a pior Copa para qualquer treinador brasileiro. Ninguém vai aceitar outro resultado que não seja o título. Ninguém admite passar outra vez por uma frustração como a de 1950. Pobre técnico...tô fora!

Dunga
- Acho que o Dunga está indo muito bem. Começou um pouco inseguro, o que é natural, pois não tinha experiência. Mas foi se firmando e acredito que possa fazer uma boa Copa. O seu momento mais difícil foi às vésperas daquele amistoso do fim do ano, contra Portugal. Curiosamente, aquela goleada de seis marcou o início da arrancada do Dunga para cima e a do Carlos Queiroz (técnico de Portugal) para baixo.

Importância de Jorginho na seleção
- Há uma peça fundamental para o sucesso do trabalho do Dunga: o Jorginho. E nem é tanto pelo fato de já ter sido técnico, mas por conseguir dar ao Dunga um equilíbrio que dificilmente ele teria caso estivesse sozinho ou com outro assessor que não fosse tão próximo e calmo. Se não houvesse o Jorginho, o Dunga, com certeza, já teria explodido e mandado tudo e todos para o inferno.

Ronaldinho Gaúcho
- Não sei se Ronaldinho Gaúcho vai voltar à seleção. Para mim, antes de mais nada, ele precisava perder quatro quilos, voltar a treinar e jogar com a vontade e a gana que na seleção, antes e durante a Copa de 2002 e nos seus primeiros anos de Barcelona. Com a saída do Kaká, ele tem uma boa oportunidade de mostrar que é capaz de liderar o Milan. Mas precisa emagrecer e recuperar o tesão pela bola.

Ronaldo x Rivaldo na Copa de 2002
- Quem foi o jogador mais importante da Copa de 2002? Rivaldo, disparado! O Ronaldo foi espetacular, fez gols decisivos e tudo mais, mas o cara que desequilibrou foi o Rivaldo. Eles tinham uma briguinha particular naquela seleção.

"Disputa" interna entre os dois
- Um queria sempre fazer mais gols do que o outro. Por isso, muitas vezes não passavam a bola, mesmo quando esta era a melhor opção para o time. Um dia, perdi a paciência, chamei os dois, tranquei no vestiário e disse: "Ou vocês acabam de vez com essa frescura, ou vai jogar um só. E eu ainda não decidi quem será". Falei e fui me embora. Deixei os dois trancados lá. Aí o Rivaldo virou-se para o Ronaldo e disse: "Olha, é melhor a gente se ajeitar mesmo. Esse cara é maluco e é capaz mesmo de barrar um de nós dois". E acabou de vez aquela bobajada.

Fenômeno no Corinthians
- Ronaldo é fora de série. Mesmo estando uns sete ou oito quilos acima do peso com que jogou a Copa de 2006, ele ainda faz a diferença na hora da verdade. Os gols que marcou na final do Paulista foram típicos de um extra-classe. E, no primeiro jogo das finais da Copa do Brasil, contra o Inter, fez a mesma coisa. Se ele perder uns quatro quilos, nem tem o que discutir. Tem que ser convocado e jogar a Copa. Ele é o tipo de cara que só de olhar, o adversário já treme.

Romário
- Romário também era um cara assim. Só não o levei na Copa de 2002 porque ele traiu a minha confiança. Foi depois da Copa América em que perdemos até do Panamá ou de Honduras, não me lembro, e eu estava por um fio. Eu e o time precisávamos do apoio naquela hora e aí surgiu a história da tal operação no olho. Num primeiro momento, me conformei, afinal, tratava-se de um problema de saúde. Mas, depois, o que eu soube? Que ele não ficou de repouso coisa nenhuma: foi fazer amistosos com o Vasco para ganhar uma grande em dólares. Aí, perdi a confiança nele e ele perdeu a Copa.

Possível interferência de Ricardo Teixeira
- O presidente Ricardo Teixeira nunca me pediu para convocar o Romário. Disse: "A decisão é sua. O que você decidir, está decido. Vou te apoiar, mas se você perder a Copa, vai ter que explicar para a torcida". E eu banquei a não convocação. Depois dessa conversa, teve um momento que eu cheguei a balançar. Foi quando ele foi para a TV chorar de dizer que queria disputar o último Mundial. Eu já estava emocionado e quase voltando atrás, quando entrou em cena o Eurico Miranda falando um monte de barbaridades, me xingando disso e daquilo e fazendo ameaças. Aí percebi que era tudo um circo armado para me pressionar e desisti, definitivamente, de levar o Romário.

Kaká e Cristiano Ronaldo
- Kaká é um jogador raro em todos os sentidos. Pelo que faz em campo e fora dele. É uma joia rara esse rapaz. Com toda fama e dinheiro que já ganhou, continua a se entregar em campo como se fosse um juvenil. Tenho certeza de que ele e o Cristiano Ronaldo vão se dar bem juntos. O Cristiano não tem nada a ver com aquela imagem de marrento que todos têm dele. Aposto que ambos serão grandes amigos. O problema do Real Madrid é o Raúl. Ele já é um veterano e continua a ser o "dono do vestiário". E ai de quem ele não gosta. Inclusive o técnico.

Problemas no Chelsea
- Os verdadeiros donos do futebol hoje em dia são os jogadores. O técnico, na maioria dos clubes europeus, não tem força para contrariá-los. Quem os clubes vão preferir mandar embora? Claro que os demitidos são sempre os técnicos. Os principais jogadores já perceberam isso. Esse foi meu problema no Chelsea. O Drogba, o Ballack e o Cech não aceitavam os meus métodos de treinamentos nem minhas exigências.

Saída após o título de 2002
- Não tinha decidido sair da seleção. Se a CBF tivesse aceitado as minhas sugestões, teria ficado. Eu queria mais ingerência nas seleções de base. Queria que os meus auxiliares acompanhassem os treinos e torneios para que pudessem me avisar do potencial que a garotada tinha para substituir os campeões do mundo, que eu já sabia que não teriam como chegar bem em 2006. Eu queria dirigir o time olímpico em Atenas, mas o Ricardo foi contra alegando que já tivera problemas com isso antes, com o Vanderlei. Aí perguntei para o Ricardo: "Se você fosse eu, ficaria ou aceitaria?". E ele disse: "Eu sairia". Foi o que eu fiz. Mas saí numa boa, sem ressentimentos.

Porque não voltou para seleção brasileira?
- No dia da final da Copa de 2006, o Ricardo Teixeira me ligou querendo conversar sobre a minha volta. Marquei um encontro em Barcelona, mas, quando falei com a minha família, todos foram contra. Para não brigar, liguei para o Ricardo desmarcando e abrindo mão do convite. E ele foi atrás do Dunga.

Planos para o futuro
- Vou voltar dentro de um ano e meio. Aí trabalho mais uns dois como técnico e chega! Mudo de função ou me aposento. Chega de discutir com bandeirinha à beira do campo. O Palmeiras queria que eu assinasse um pré-contrato para quando eu voltar. Agradeci, mas não aceitei. Quando voltar, quero estar livre para decidir o que for melhor na ocasião. Houve um dirigente do São Paulo que ligou para o meu empresário querendo o meu telefone.

Os técnicos brasileiros
- Dos novos, gosto muito do Mano Menezes. Vejo futuro no Vagner Mancini e no Dorival Júnior. Mas estes precisam de uns três anos de bons trabalhos para se firmar entre os maiores, como o Vanderlei, Muricy, Autuori...

Vanderlei Luxemburgo
- Técnica e taticamente, o Vanderlei é o melhor. Mas costuma misturar muito as coisas dentro de fora de campo. Eu não consigo engolir essa de história de treinador querer ganhar comissão em cima de atletas que ele revelou ou indicou e que depois foram vendidos. Dá margem a milhares de insinuações. Nunca fiz, nem faria. Se ele se concentrasse no que é melhor, teria ainda mais sucesso. Mas essa é apenas a minha opinião. Ele é maior de idade, bem-sucedido, faz o que quiser.

Pura zica

Tranquilidade minha gente. Futebol é negócio simples... é só empurrar pra rede e correr pro abraço

Durou meia hora a raiva pós-jogo por ter perdido por 3 a 1 para o Sport.

Aliás, só pra não passar em branco, assisti o jogo até 35 do primeiro tempo.

Tempo suficiente pra ver o time perder gols feitos outra vez.
Como pode o Grêmio, titular ou reserva, perder tanto gol?! Como?!

E aí uma coisa clareia na mente.

Não adianta nada a torcida lotar, a esperança reinar, o Herrera jogar, se os barbantes do gol de Fábio não balançarem.

Hoje o treino no Olímpico foi de finalização. Outra vez.

Tá certo, mas acho que o caso gremista é mais psicológico do que técnico.

Os homens chutam certo, mas a bola não entra.

Se quiserem justificar o contrário, falar que o Maxi e o Herrera nunca foram goleadores, pergunto: e o Alex Mineiro? Nem ele tá fazendo!

Desde aquele jogo de estreia na Libertadores, contra a Uviversidad do Chile, no qual o Tricolor chutou 20 bolas e não fez nenhuma, parece que este virou o carma de todos.

Contra o Cruzeiro, após três chances perdidas, ninguém acreditava mais. Desde a torcida até o presidente.

No domingo, contra o Sport, o Jonas perdeu de fazer um gol feito, da marca do pênalti.
Dominou, chutou certo, no canto onde não tinha ninguém. Chegou um zagueiro e rapa. Tirou em cima da linha.

Ali, teve muito torcedor em frente a TV dizendo: “de novo! Vai acontecer tudo de novo! Agora não fizemos mais!”.

Este pensamento tem que ser extirpado! Este pensamento passa para os jogadores. Este pensamento está na cabeça dos jogadores.

Sai azar!

________________________
Perguntas sobre o elenco gremista:

**Se era pra fazer contrato de 3 anos com o Orteman, não seria melhor ter feito um contrato de 3 anos com o Sandro Goiano?
**Ninguém vai chegar no Douglas Costa e conversar com o guri, passar tranquilidade?
**Com a saída do Ruy, quem vai jogar na direita? Thiego será efetivado ali?
**O Grêmio não tem psicólogo (a)?

________________________

Grêmio no Brasileirão:

8 jogos

2 vitórias: Grêmio 2 x 0 Botafogo; Grêmio 3 x 0 Náutico

3 empates: Grêmio 1 x 1 Santos; Fluminense 0 x 0 Grêmio; Grêmio 2 x 2 Goiás

3 derrotas: Atlético-MG 2 x 1 Grêmio; Vitória 1 x 0 Grêmio; Sport 3 x 1 Grêmio

Gol (10 pró / 9 contra): Souza, Jonas e Maxi (2); Herrera, Réver, Tcheco e Fábio Santos (1)
_______________________
Próximo jogo no Brasileiro: Atlético-PR, no Olímpico, - domingo, dia 5, às 16 horas.

Veja a forma bisonha como o Grêmio errou passes e tomou gols

Temporada de caça ao Galo

"Não contavam com minha astúcia!"

Não vi o jogo deste domingo. Vai ver que o time conseguiu jogar porque eu não vi... Além dos gols consegui ver alguns lances (inclusive alguns de grande perigo do time paranaense) e notar que Tite experimentou um 3-5-2! Depois eu digo que os caras leêm o Grenalzito e ninguém acredita! VARIAÇÃO TÁTICA, OPÇÕES de mudança... Não dói nada né? As vezes até dá certo! Se o teu time reserva joga IGUAL ao titular, só que sem a mesma qualidade, é EVIDENTE que os resultados não virão. Fico contente que TÃO CEDO na temporada a gente possa testar uma variação... É dose pra mamute, como dizia o outro.

E o xará do Chesperito fez um hat-trick, quem diria (além do Fernando Carvalho...)! É um bom reforço pro nosso ataque durante a temporada, e poderá ser muito útil na briga pelo título nacional.

Estatísticas Coloradas no Brasileiro:

8 jogos (10 gols pró / 6 Contra)

5 Vitórias (Corinthians 0 x 1 Inter; Inter 2 x 0 Palmeiras; Goiás 0 x 1 Inter; Inter 2 x 1 Avaí; Inter 3 x 0 Coritiba);

2 Empates (Cruzeiro 1 x 1 Inter; Inter 0 x 0 Vitória);

1 Derrota (Flamengo 4 x 0 Inter).

Gols:
Bolaños - 3
Nilmar – 1
Danny Morais – 1
D’alessandro – 1
Taison – 1
Alecsandro – 1
Talles Cunha – 1
Magrão – 1

Assistências:
Alecsandro – 2
D’alessandro – 1
Taison – 1
Marcelo Cordeiro – 1
Kléber – 1
Andrezinho – 1

- O Inter divide a primeira posição - 17 pontos - do Brasileirão com o Atlético-MG do amigo do Mau Celso Roth. A equipe mineira está em primeiro pelo saldo de gols.

Enquetes - Nova e Antigas

Ficamos devendo o resultado da enquete passada, então vamos atualizar as últimas averiguações feitas pelo DataGrenalzito:

Qual estrangeiro vai ter mais destaque neste Campeonato Brasileiro?

50 VOTOS no total (recorde do blog!):

Guiñazú - 20 votos
Máxi Lopez - 16 votos
D'alessandro - 12 votos
Sorín - 1 voto
Herrera - 1 voto

Este time do Grêmio é capaz de ganhar o TRI da América?

20 VOTOS no total:

Sim - 8 Votos
Não - 12 Votos

E agora está no ar a mais nova enquete:

QUAL O SEU PALPITE PARA O GRENAL DO DIA 19 DE JULHO?

Empate
Vitória do Grêmio
Vitória do Inter

Vote com consciência!

sexta-feira, 26 de junho de 2009

Junho Negro*

Vera numa típica e inofensiva rasteira baixa (diagonal pra baixo + C) de Mortal Kombat!

6 partidas sem vitória (4 D 2 E 0 V) e 4 sem chegar aos cordéis da cidadela adversária. Antes de qualquer coisa, sobre o jogo de ontem houve UM ERRO que desencadeou todos os outros: ESTE TIME DO INTER COM 2 MEIAS NÃO FUNCIONA. Será que é tão difícil ver isto? Não me entenda como volantista, por favor. A minha idéia “ideal” de futebol é completamente ofensivista. Monto times na minha cabeça que deixariam Abel Braga e Frank Rijkaard temendo pelo pior e me chamando de “faceirinho”. Wianey Carlet daria uma de Michael Jackson e pegaria o último trem pra estação Parada Cardíaca.

No fundo cada esquema tático escolhe, antes de uma maneira de atacar, um jeito de MARCAR o adversário. Meu time teria 3 atacantes marcando pressão a saída de bola DO GOLEIRO se possível! Alguns gostam de retrancas, mas não conseguem ver que tu pode simplesmente marcar com o time TODO, mas muito mais adiantado. Cultura tática magnata...

Xerife Urritia chegando LIMPO no lance...


Desde o PRIMEIRO SEMESTRE de 2008 tentam implementar no Beira-Rio (e aí não culpo só o Tite. Imprensa, dirigentes e MUITOS torcedores queriam um esquema “mais ofensivo”) a idéia do 2-2-2-2 a partir dos volantes, que a seleção brasileira usou durante mais de duas décadas. Já foi Taison e D'alessandro com o Alex e o Nilmar no ataque, já teve a inversão das posições do Taison e do Alex... E mais mil tentativas inóspitas. O time só se encontrou na cancha quando Sandro (ou Edinho), Guina e Magrão ofereceram liberdade de criação, movimentação e principalmente de MARCAÇÃO (muitas vezes liberando os meias e atacantes desta função) ao trio ofensivo. Com dois meias os volantes ficam sobrecarregados, fica todo mundo depois da linha de meio-campo jogando DE COSTAS pro gol, uma das maiores burrices de todos os tempos, e as jogadas pelos lados do campo (que não temos) continuam mortas.

ANDREZINHO NÃO PODE SER O SUBSTITUTO DO MAGRÃO! O Saci Reloaded é RESERVA DO D'ALE! Qualquer guri que joga no dente de leite sabe disso!

A LDU com certeza veio esperando marcação dura e velocidade no ataque. Com 15 minutos de jogo eles viram um meio que esperava a bola ser carregada (e não é culpa dos meias, eles não estão ali pra marcar!) até quase a sua própria área e um setor ofensivo que aceitava a marcação, jogando de costas! Aí o catimbeiro, experiente e MALANDRO (milongueiro virou expressão do Galvão Bueno, me recuso a usar...) time equatoriano fez o seu jogo: marcação quase individualizada e parando o jogo com faltas. E saindo na velocidade do Lara, grande jogador. Perdemos na marcação adversária mais uma vez, mas ontem muito mais pela INEXISTÊNCIA do nosso setor de contenção.

Mais uma vez Urrutia apresentando suas trav... seu futebol!


- Marcelo Cordeiro, Giuliano, D'ale, Andrezinho, Sandro, Alecsandro, Danny, TITE... todo mundo muito mal ontem... Só se salvaram Guina, Taison e o Bolívar até a expulsão (aliás Píffero, pode contratar o VERA, volante da LDU. Baita jogador, e nem precisa dizer que fui eu que te indiquei, fica como sendo tua descoberta!)

- O concreto do Beira-Rio começa a ranger durante a noite gelada do inverno da capital gaúcha, e muitos afirmam ouvir uma palavra sendo repetida cada vez mais alto: muricy, muricy, muricy, muricy... E eu temo...

- Fernando Carvalho vai mostra um dossiê sobre o apito amigo Corintiano na segunda-feira, dois dias ANTES da final. Condicionamento nos apitadores e bandeiradores é MATO! Desde já não concordo com a atitude de Don Carvalhone.

- Já escrevi demais. Fico no aguardo dos emails com aquela montagem daquele filme com o Tom Hanks (substituído por algum jogador e/ou colocando a camiseta do clube no ator americano) um dia antes da final com o Corinthians e contra a Liga lá em Quito. Só não esqueçam que mais cedo ou mais tarde esse email chega pro teu time também!

*O Junho Negro do título é uma referência ao mês atípico do Inter, que vinha de 5 meses sensacionais e no último momento do semestre as coisas saíram dos trilhos (OBRIGADO DUNGA!). Nenhuma relação com racismo, por favor. Se quiser saber mais sobre o assunto é só descer um pouco e ler o que o Mau escreveu. Para opinar sobre o ocorrido e acerca desse tema, os comentários são livres e estão ali para isso!

quinta-feira, 25 de junho de 2009

"Racismo" no futebol

"Vem cá meu bem" - Tem quem ache que futebol é assim

Quem me conhece, sabe dos meus “preconceitos”.

Quem se conhece, sabe dos seus.

Externá-los é o erro. Tê-los é normal.

Se (e que fique bem claro o “se”) Maxi externou o dele chamando Elicarlos de “macaco”, errou. E deve ser repreendido, corrigido, ensinado que o fato de uma pessoa ter a cor da pele diferente da dele não quer dizer que ela seja pior que ele. Resolvido.

Agora, o Elicarlos prestar queixa e promover aquela história toda é uma grande palhaçada, uma baita hipocrisia, como disse Alex Cabeção, ex-Cruzeiro, Palmeiras, Seleção.

Façamos uma comparação entre “veado” e “macaco”.
Acredito que o "veado" seja muito mais chamado dentro dos gramados do que o "macaco". E se pudesse escolher, optaria, sinceramente, ser chamado de “macaco”.

Acho bem menos pejorativo. Aliás, não acho pejorativo. Os caras não insistem em dizer que somos uma evolução dos macacos? Qual o problema ser chamado de tal? Seria como chamar alguém de “primo” e o parente te processar.

Imagine o Richarlysson mandando prender cada um que chama ele de “veado” num jogo de futebol.

Imagine o árbitro mandando segurar toda a torcida porque ela gritou “juiiiiz, viaaaado!!!”.

Neste caso que está na mídia foi um xingamento interno de Maxi a Elicarlos, tipo marido e mulher, não um ato de racismo. Foi errado, mas se punir este, teremos que punir todos os outros.

A cada lance do futebol um jogador manda o outro tomar no cú, se foder, chama de bicha, veado, baitola, otário, corno, filho da puta, filho duma égua, filho duma potranca, idiota, chama árbitro de ladrão, técnico de burro, de anta, asno.

Coisas bem piores, de gravidade igual. Ninguém acha ruim.

Sei que o “racismo” preto X braço, KKK e tudo mais é uma mancha “negra” (olha a discriminação), “denegriu” (olha ela aí de novo) a história da humanidade. E já deveria ter sido eliminada. Infelizmente não foi.

Mas a reclamação do Elicarlos é clara e tem como único objetivo causar furdunço, está escancarada a intenção.

Talvez estaria ele sendo “racista” com argentinos? Será o que Maxi não tem nenhuma queixa duma frase tipo “só podia ser argentino mesmo”? Ou "argentino de merda!"

Caberia um pedido de prisão igual. Ou não caberia? É pejorativo.

Não ofende?

Xingamento e futebol andam juntos, inflizmente. O mundo seria belo e lindo se todos se amassem.

Mas não é (quem sabe um dia chegamos lá e nem no futebol teremos mais que lamentar estes atos).

As pessoas discutem. Quantas vezes tu, lendo um texto meu pensou: “só podia ser este gremista de merda! É um bocaberta mesmo! Um burro velho!”.

Faça as contas.

“Xingar” de macaco dentro de campo é como xingar de qualquer outra coisa. É até difícil classificar como racismo.

Só sei que a folia está armada. A guerra se fez. E lá pelas tantas da madruga escutei que o Maxi sairia do busão pra prestar depoimento na delegacia do Mineirão.

Parênteses: a diretoria do Grêmio vacilou escondendo o Maxi dentro do ônibus. Aumentou o caos, deu pano pra manga, prolongou a confusão. Errou.


Voltando: pensei na hora (em que o Maxi sairia do ônibus): que venham todos os jogadores pra fora e acompanhem Maxi.

Foi mais. Vieram todos os atletas mais Paulo Autuori, Renê Weber e todos os dirigentes.

União.

Ali o time mostrou-se uma equipe. Mostro que quer vencer o Cruzeiro, a começar por esta pendenga aí.
Mostrou mais neste momento do que dentro de campo, quando Tcheco sucumbiu e Souza apareceu “só” para fazer o gol da esperança. Quando Alex Mineiro perdeu dois gols que até eu faria. Quando o Léo dormiu no primeiro gol. Ou quando a zaga toda dormiu no terceiro gol deles. Ou quando ninguém foi pra cima do Wágner, deixando ele chutar pra fazero segundo do seu time.

Não sei se é a onda gremista, se é a velha esperança, ou se é porque o 2 a 0 não é tão distante assim, mas acredito na classificação.


Se o jogo tivesse terminado 1 a 0 para o Cruzeiro, estaríamos comemorando e precisaríamos fazer os mesmos 2 a 0 em casa. Sei, agora, se o Cruzeiro marcar um gol, a peleia é outra ainda maior e mais impossível de ser vencida.

Mas o Grêmio pode. 2 a 0 dá!

quarta-feira, 24 de junho de 2009

Resta torcer

___________________________________________

Volta logo Jesus!
----
Atualizado às 00h16.

Respirei fundo e lembrei o quanto era difícil fazer 2 a 0 no São Paulo em 2007.

Fizemos.

Lembrei de quanto era difícil fazer 2 a 0 no Defensor em 2007.

Fizemos.

Recordei o quanto era impossível fazer 1 a 0 no Náutico em 2005 com 7 jogadores em campo.

Fizemos.

Passou pela minha cabeça a improbabilidade de fazer 4 a 0 no Caxias em 2007.

Fizemos.

Grêmio na Libertadores

11 jogos

7 vitórias: Boyacá Chicó 0 x 1 Grêmio; Aurora 1 x 2 Grêmio; Grêmio 3 x 0 Aurora; Universidad de Chile 0 x 2 Grêmio; Grêmio 3 x 0 Boyacá Chicó; San Martín 1 x 3 Grêmio; Grêmio 2 x 0 San Martín

3 empates: Grêmio 0 x 0 Universidad de Chile; Caracas 1 x 1 Grêmio; Grêmio 0 x 0 Caracas

1 derrota: Cruzeiro 3 x 1 Grêmio

Gols (18 pró/6 contra): Souza (5), Maxi (4), Léo e Jonas (2), Tcheco, Fábio Santos, Rafael Marques, Réver e Herrera (1)

Assistências: Souza (4), Alex Mineiro, Tcheco, Herrera, Maxi e Jonas (1)

Loucos por TRI América III

Dálhe Tricolor!
Dálhe Souza de contrato renovado!

Em busca do Bi

* Pra quem não conhece Mr. George Best, tem uma entrevista do além do túmulo lá no Tisserand!*


Saci "Tipo Colômbia" NELES!

Campanha perfeita na Libertadores de 2006 até aquele primeiro jogo das quartas-de-final contra a LDU, lá nas alturas. 2 a 1 pros equatorianos, depois de um primeiro tempo espetacular do Inter e de um segundo tempo com nível de oxigênio beirando o ridículo. E aí veio a Copa do Mundo da Alemanha!

Que suplício esperar pelo jogo de volta! Foi tão difícil que eu e meu pai não tivemos dúvidas: nos tocamos pra Porto Alegre incentivar o Colorado! 2 a 0 Inter num jogo tenso, até demais... Aos 200 mil minutos do segundo tempo, falta pra Liga. Gol deles e o jogo iria para os pênaltis. O ar não se movia nas arquibancadas. O desgraçado bate a falta rasteira, no contrapé do goleio e... CLEMER opera um milagre e o juiz apita o fim do jogo! Adiamos o sonho da LDU de conquistar a América, que se concretizaria dois anos mais tarde e contra um time brasileiro (abraço Raphinha!).

Nesta quinta começa a decisão da Recopa Sul-Americana, disputada entre o campeão da Libertadores 2008 (LDU) e o campeão da Sul-Americana de 2008 (Inter). Segue a lista de todos campeões do torneio, que em alguns anos foi disputado em jogo único, como em 90 e 2003 num jogo nos EUA e em 94, 95, 96 e 97 no Japão. Na minha opinião essa seria a fórmula ideal (mas com o jogo ocorrendo no continente Americano, não lá na Ásia!), e não esta de dois jogos, um em cada domínio dos envolvidos. Mas tratando-se de Conmebol, tudo é possível!

Ano / Campeão / Vice- Campeão

1989 / Nacional (URU) / Racing Club (ARG) / 1-0 e 0-0
1990 / Boca Jrs. (ARG) / Atl. Nacional (COL) / 1-0
1991 / Olimpia (PAR) (*)
1992 / Colo Colo (CHI) / Cruzeiro (BRA) / 0-0 (5-4 p)
1993 / São Paulo (BRA) / Cruzeiro (BRA) / 0-0 e 0-0 (4-2 p)
1994 / São Paulo (BRA) / Botafogo (BRA) / 3-1
1995 / Independiente (ARG) / Velez Sarfield (ARG) / 1-0
1996 / Gremio (BRA) / Independiente (ARG) / 4-1
1997 / Velez Sarsfield (ARG) / River Plate (ARG) / 1-1 (4-2 p)
1999 / Cruzeiro (BRA) / River Plate (ARG) / 2-0 e 3-0
2002 / Olimpia (PAR) / San Lorenzo (ARG) / 2-0
2003 / Cienciano (PER) / Boca Jrs. (ARG) / 1-1 (4-2 p)
2004 / Boca Jrs. (ARG) / Once Caldas (COL) / 3-1 e 1-2
2005 / Boca Jrs. (ARG) / São Paulo (BRA) / 2-1 e 2-2
2006 / Internacional (BRA) / Pachuca (MEX) / 1-2 e 4-0
2007 / Boca Jrs. (ARG) / Arsenal 3-1 e 2-2

* Em 1991 o Olimpia foi campeão sem precisar disputar os dois jogos, por ter ganho a Taça Libertadores e também da Supercopa "João Havelange" de 1990.

Retirado de Futebol Latino

segunda-feira, 22 de junho de 2009

Loucos pro TRI América II


Olha o Grenalzito no vídeo aí.

Tá meio no "camufle", só reconhece quem CONHECE, mas tá valendo. Grande campanha dos blogueiros gremistas.

Seguiremos!!!

Imortalidade

Aquele empate em 2 a 2 com o Goiás em casa serviu só pra manter a invencibilidade de 23 jogos no Olímpico e pra mostrar que sempre que for requisitada, ela, a imortalidade tricolor, aparecerá.

Gol de Maxi aos 47 do segundo tempo é pra mudar opinião até dos secadores que estão botando na enquete que o Grêmio não tem time pra ser campeão da Libertadores número 50.

Tudo que o Tricolor precisava era não perder em casa. E isso aconteceu. É complicado jogar Brasileirão no meio de decisão (até rimou). Veja o Cruzeiro, ou o Inter.

A cabeça tava (e tá) no Cruzeiro. Não poderia ser diferente. E no jogo contra o Esmeraldino o Grêmio teve revolta e indignação, fatores fundamentais para conquistar títulos. Não pode é apanhar e achar normal. O Goiás pulou duas vezes na frente e o Tricolor buscou duas vezes, mesmo jogando mal. Parabéns! Isso é força, reação!

Que venha o Todo Poderoso Cruzeiro!

Grêmio no Brasileirão:

7 jogos

2 vitórias: Grêmio 2 x 0 Botafogo; Grêmio 3 x 0 Náutico

3 empates: Grêmio 1 x 1 Santos; Fluminense 0 x 0 Grêmio; Grêmio 2 x 2 Goiás

2 derrotas: Atlético-MG 2 x 1 Grêmio; Vitória 1 x 0 Grêmio

Gol (9 pró / 6 contra): Souza e Maxi (2); Jonas, Herrera, Réver, Tcheco e Fábio Santos (1)
_______________________
Próximo jogo no Brasileiro: Sport, na Ilha do Retiro, - domingo, dia 28, às 18h30.

Bye Bye invencibilidade

Desfalques, desgaste, acúmulo de partidas decisivas... Nenhuma destas desculpas são 100% cabíveis. O que está acontecendo com o Inter, muito mais rapidamente do que todos esperavam, atende pelo nome de ULTRA EXPOSIÇÃO MIDIÁTICA. E da tão falada, aqui no Grenalzito desde a fundação do blog, FALTA DE VARIAÇÃO TÁTICA. Explico.

O esquema de jogo e a parte tática da equipe Colorada são quase sempre iguais. 4-4-2 que varia de: Duas linhas de 4 jogadores na defesa e no meio e dois atacantes mais soltos e flutuantes; Ou meio campo em losango, com liberdade para um lateral e um mais defensivo, dependendo da equipe adversária. E ataque igualmente flutuante, tendo como diferencial um dos vértices do losango que se junta a dupla de AVANTES (bonito isso), abrindo espaços e gerando tabelas.

O problema é que desde a campanha vitoriosa na Sul-Americana do ano passado estas são as ÚNICAS MANEIRAS do time jogar. Quando temos os trios D'ale-Taison-Nilmar e Sandro-Guina-Magrão, pela qualidade e entrosamento das peças, dificilmente o adversário consegue neutralizar o esquema tático. Quando algum desses jogadores é substituído (e com isso cai a qualidade e principalmente a mecânica da movimentação de jogo), o sistema desaparece. O Flamengo já havia neutralizado de maneira muito eficiente nossas jogadas mais agudas na Copa do Brasil, mas a qualidade do time do Inter prevaleceu. Ontem no Maracanã, dos 6 citados anteriormente só haviam dois, e Guina jogando em outra posição no meio-campo. Aí preteia os zóio da gatiada, naturalmente.

Maloka tá fazendo falta (no lance aí e no time agora)!

Além disso, o time do Inter passou o semestre inteiro sendo estudado, aparecendo constantemente nos principais programas esportivos de todo o país, etc... Com isso acontece o que houve com o São Paulo nesse primeiro semestre de 2009: todo mundo que acompanha um pouco futebol já sabia exatamente as jogadas principais do time do Muricy, e pior, já sabia AS VARIAÇÕES! Quando não há surpresa pro adversário a marcação encaixa. E preso na marcação e sem talentos individuais (entrosados, coisa que não ocorreu no São Paulo desse ano), como foi o Inter ontem, a equipe some em campo. E assim como o Corinthians semana passada, o Flamengo marcou muito ontem. Mas com certeza só a marcação imposta pela equipe carioca não justifica a partida ATÍPICA e APÁTICA do Inter.

Parabéns Giuliano, Alecsandro, Danilo, Álvaro, Marcelo Cordeiro e Leandrão, vocês COSEGUIRAM manter no cargo um técnico que nem escalar o time titular consegue mais!

Ps.: Magrão segue fora, por lesão, e não enfrentará a LDU no primeiro jogo da decisão da RECOPA SUL-AMERICANA, no Gigante da Beira-Rio, quinta-feira. Mais sobre o jogo durante a semana.

Giuliano tentando vaga como ENTREGADOR de Pizza na Cidade Maravilhosa.

sexta-feira, 19 de junho de 2009

Informações

Time (provável) do Inter no jogo de domingo, às 18:30 DE NOVO, contra o Flamengo na terra de Anthony Piazinho:
Lauro; Danilo, Índio, Álvaro e Marcelo Cordeiro; Sandro, Magrão, Guiñazu e Andrezinho; Taison e Alecsandro.

Time (provável) do Flamengo:
Bruno, Welliton, Williams e Ronaldo Angelim; Leonardo Moura, Ibson, Toró, Éverton e Juan; Aleílson e Adriano.

Palpite:
2 a 1 Inter, pra afastar o olho GORDO! E o Taison vai guardar um! E o Cuca...

Bom, vi uma matéria no globo esporte hoje que beira o estapafúrdio: 6 jogadores, os mais MAGNATAS do elenco, BANCARAM o salário de um atacante DISPENSADO pelo treinador. E o Cuca teve que aceitar o garoto Alex Alguma Coisa até o final do ano de volta ao elenco! Com o salário pago por Adriano, Pet, Leo Moura, Ibson e mais dois menos cotados.

Ou seja, o Inter não tem como derrubar o Cuca, pois ele nem treinador do Flamengo é mais! E é assim que a banda toca lá no Rio 40º graux;

E lembrando a seqüência de jogos do Inter até o segundo jogo da final da Copa do Brasil: Flamengo, LDU (primeiro jogo da decisão da Recopa) e Coritiba em casa pelo Brasileiro. TESTE PRA CARDÍACO AMIGO! É a semana mais importante do ano, portanto vamos empurrar o time, e que a direção e a comissão técnica façam um planejamento bala para essas últimas semanas de junho e primeiro dia de julho.

Estatísticas Vermelhas no ano:
39 Jogos (94 gols pró / 26 gols contra);

6 Empates (Inter 0 x 0 Santa Cruz; Ypiranga 0 x 0 Inter; Juventude 3 x 3 Inter; Flamengo 0 x 0 Inter; Cruzeiro 1 x 1 Inter; Inter 0 x 0 Vitória);

4 Derrotas (União Rondonópolis 1 x 0 Inter; Figueirense 3 x 1 Inter; Coritiba 1 x 0 Inter; Corinthians 2 x 0 Inter);

29 Vitórias (São José 1 x 3 Inter; São Luiz 0 x 1 Inter; Inter 4 x 0 Sapucaiense; Inter 4 x 1 Ulbra; Grêmio 1 x 2 Inter; Inter 5 x 1 Caxias; Inter 2 x 1 Ulbra; Inter 2 x 0 Novo Hamburgo; Inter 2 x 1 Grêmio; Inter 2 x 0 União Rondonópolis; Inter 4 x 0 Veranópolis; Brasil de Pelotas 0 x 7 Inter; Inter 1 x 0 Inter-SM; Inter 4 x 1 Novo Hamburgo; Esportivo 2 x 6 Inter; Inter 3 x 0 Avenida; Inter 2 x 1 Grêmio; Guarani 1 x 2 Inter; Inter 4 x 0 Ulbra; Inter 8 x 1 Caxias; Inter 5 x 0 Guarani; Náutico 0 x 3 Inter; Inter 2 x 0 Náutico; Corinthians 0 x 1 Inter; Inter 2 x 1 Flamengo; Inter 2 x 0 Palmeiras; Goiás 0 x 1 Inter; Inter 3 x 1 Coritiba; Inter 2 x 1 Avaí).

Minha primeira camiseta do Inter, presente do meu Avô! Essa ainda tinha o ramo entre as estrelas, simbolizando o título invicto de 79! Ao lado meu irmão gremista e ovelha negra da família e meu pai. Tava há tempos pra postar essa foto, então taí!

Libertadores terá final histórica

O Nacional tem camisa e tradição

Faz tempo (se alguém com melhor memória que eu puder lembrar, agradeço) que a Libertadores não tem uma semifinal só com times campeões.

Melhor, só com clubes que já ganharam mais de uma vez a Copa Continental.

De um lado Grêmio e Cruzeiro, cada um duas vezes campeão. Do outro, Nacional e Estudiantes, cada um com três taças no armário.

Que final teremos!
Kléber é igual Maxi: peleador nato

O Grêmio terá o fator local a seu favor. Decide todas em casa

---------------------------------
Ontem me grudei na TV pra ver o segundo tempo de Estudiantes X Defensor. Jogo normal, tipo Grêmio X Caracas (...acabo de ver os melhores momentos. No primeiro tempo, além do gol do Estudiantes, o jogo foi melhor, com mais chances de gol).

Depois foi truncado, poucas chances, mas com o semifinalista sempre melhor, com mais posse de bola.

Na sequência passei superbonder na cola e não tive como desgrudar los ojos de la televisón para ver San Pablo X Cruzeiro.

O São Paulo estava bem até Eduardo Costa (acho que ele não tava a fim de enfrentar o Gêmio) ser expulso aos 44 minutos do primeiro tempo por segunda falta violenta.

O time paulista mostrava sua experiência, sua calma, e tentava trabalhar a bola. Mas o Cruzeiro marcava bem e levava perigo nos contra-golpes.

No segundo tempo, Muricy bem que tentou ajeitar as coisas colocando Hernanes para das consistência ao meio-campo, e Dagoberto para puxar os contra-ataques junto do Marlos (é bom esse guri).

Mas o Cruzeiro fez primeiro (que golaço do Henrique!). E aí, meu amigo, é que eles começaram a jogar. Com a vantagem no placar, o time de BH dobra de qualidade.

É disso que o Grêmio tem que cuidar. Tomar um gol do Cruzeiro é mortal. Tem que marcar MUITO, ainda mais que o primeiro jogo é no Mineirão. Se bobear, os caras metem o segundo e o terceiro.

Não fizeram mais no SP (que ainda teve André Dias expulso justamente no pênalti que resultou no gol do Kléber), porque tiraram o pé, respeitaram.

Uma coisa é certa: alguém será TRI, ou será o TETRA. Confrontos dignos da 50ª edição da Copa.


Que final teremos! Isso não sai da minha cabeça.
--------------------
Outros detalhes de Grêmio e Cruzeiro:
*Em Libertadores foram 4 confrontos. Duas vitórias pra cada lado na história. O Cruzeiro ganha no saldo.Fez 5, o Tricolor fez 4.

*Os dois times são bi da Libertadores. O Grêmio ganhou em 83 e 95. O Cruzeiro em 76 e 97.

*Os dois são os maiores vencedores de Copa do Brasil, com 4 títulos pra cada.

*O Grêmio está na 12a. Libertadores. O Cruzeiro na 11a.

O Estudiantes tem o maestro Veron

quinta-feira, 18 de junho de 2009

Má de jeito nenhum!

Desistir JAMAIS!

A marcação do Inter foi muito boa, mas a do Corinthians foi espetacular. Penso que nesse quesito reside o “motivo” da vitória alvinegra no primeiro tempo da final. Conseguiram bloquear a saída de bola Colorada até fazer 1 a 0, e no segundo tempo chamaram o meio-campo do Inter para o seu campo, apostando numa bola FURTIVA (Impedimento Style) que encontrasse o Gordo. E encontrou. E aí não tem muito o que fazer. Ronaldo foi Ronaldinho na única oportunidade que teve. Mas que se registre: a marcação sobre ele durante QUASE todo o jogo foi feita de maneira correta e leal, encurtando ao máximo o espaço de movimentação do R9.

ADENDO: O lance que originou o gol: a falta que houve e foi ou não marcada, e foi batida com a bola rolando... Não tenho o menor saco pra discutir arbitragem, nem quando prejudica nem quando favorece (tudo teoricamente, claro), portanto vou falar do jogo, que foi um dos melhores do ano, se não O MELHOR do primeiro semestre nas terras de Luís Inácio.

VOLTANDO: Muito bem também foi a zaga Corinthiana. Acho que o único erro do setor foi não ter fixado marcação no Taison (muito em função da PENDURA do Chicão com os cartões e do cartão amarelo que o Alessandro levou). Vão dizer que Taison perdeu A CHANCE, querendo colocar uma culpa inventada e nos ombros errados. O guri assumiu a responsabilidade, chamou o jogo, as faltas, foi pro drible, pras tabelas. Perdeu o gol? Sim, aquele lance é 80% pro atacante correr pro abraço. Mas Felipe (além de bom goleiro tem NOME DE GOLEIRO heinhô!) está em momento especial. Fez 3 defesas (falta do Andrezinho, chute do Guina - ! - e essa bola do Taison) sensacionais, saiu muito bem do gol (menos na cabeçada do Magrão no primeiro tempo que quase entrou) e armou contra-ataques em lançamentos com as mãos. Se não fosse tão espalhafatoso já estaria na seleção. Falando em seleção... Melhor nem dizer nada, quero falar DO JOGO...

Taison não sentiu em nada o peso da decisão e foi com certeza um dos destaques Colorados, digam o que disserem. Senti orgulho do piá. Na verdade acho que isso aconteceu (sentir o peso do jogo) com outros dois jovens e promissores jogadores: Danilo Silva e principalmente Sandro. Confundiu-se na marcação à Douglas e na ajuda ao combate no setor pelo qual caiam Alessandro e Jorge Henrique (pra mim o melhor jogador da partida). E não conseguiu participar nas jogadas ofensivas. Uma pena.

Melhores em campo

Guina foi o melhor em campo pelo Inter, só pra variar um pouquinho. Entre as funções que cumpriu ontem, listo as de SALVA-VIDAS de lateral-esquerdo, ARMADOR, PONTA-DE-LANÇA (se não sabem o que é perguntem pro pessoal da velha guarda), PONTA-ESQUERDA e LÍBERO. Fora as que faz em todo o jogo, como as três primeiras funções do meio-campo e elemento surpresa vindo de trás. Falar mais é chover no molhado, Guina é a ÂNCORA MORAL do time, da torcida, da INSTITUIÇÃO Internacional de Porto Alegre. Gigante!

Falando do(s) setor(es) ofensivo agora: jogamos fora de casa com coragem, disposição e criação de jogadas no ataque. Tudo que tinha faltado contra Flamengo e Coritiba nos jogos fora. Só que dessa vez o resultado não veio. Culpar alguém pelo time ter jogado com a postura que a torcida pedia há pelo menos 2 meses? Não farei isso de jeito nenhum! E o ataque Corinthiano teve jornadas muito melhores que a de ontem, principalmente Dentinho e Douglas. Mas fez dois gols! Jorge Henrique armou e concluiu jogadas, não precisando voltar tanto para ajudar na marcação e ficando mais livre. Talvez aí esteja uma explicação.

"Emagreci uns 5 kg ontem né imprensa?"

Enfim, vi um JOGAÇO de futebol ontem. Peleado, com chances para os dois lados (no total 4 chances de gol para o Inter e 4 para o Corinthians, que em função dos gols, naturalmente foi dando a posse de bola e esperando pra sair na boa), com opções táticas variadas, com criação e marcação nas meias, com velocidade. Um jogo digno de decisão entre dois dos maiores clubes do Brasil. Se eu fosse um torcedor de um clube NEUTRO na noite de ontem, ou seja, nem torcesse para os envolvidos nem fosse torcedor de um time rival aos mesmos, ficaria muito feliz de ver uma partida tão boa.

Temos mais 90 minutos para reverter a decisão. Missão dificílima. Pelo escore, pela organização e disciplina tática da equipe do Parque São Jorge, por entrar com a pressão de virar um placar. Mas nós temos uma nação vermelha que acredita. Temos time e mais que isso, teremos NILMAR, KLÉBER e D'ALESSANDRO (e talvez BOLÍVAR) na volta. Assim como o jogo em São Paulo foi aberto e bem jogado, acho que o título ainda está em aberto e será bem jogado em Porto Alegre também.

Como diz Rocky Balboa, it ain't over 'till it's over, só acaba quando termina. E não tá morto quem peleia. E não podemos se entregar pros hôme, MÁ DE JEITO NENHUM!

Ps.: Acho que nunca fiquei tão nervoso num jogo como ontem. Vi o jogo sozinho. Quando olho jogo do Inter com o pai (90% das vezes) tenho alguém pra conversar, brigar, discutir... mas ontem era eu, a TV e a cusca lá de casa no lado. Ficava caminhando, falando baixo comigo mesmo... "Estamos jogando uma das melhores partidas do semestre longe de nossos domínios mas o gol não sai!" Os titulares faziam falta mas o time seguia adelante, sem arrefecer jamais! Quase tive um piripaque (Chaves), mas no fim ficou a sensação que ainda temos futebol pra ganhar qualquer jogo, ainda mais em casa. Isso tranquilizou um pouco, mas pegar no sono foi foda.

Louco por TRI

Autuori matou a charada:

- A partir de certo momento o Grêmio teve dúvida entre ir atrás do gol ou segurar o 0 a 0.

Foi isso. Simples assim.

O Tricolor teve domínio do jogo, usou bem os dois volantes e os dois meias. Saiu só com um lateral e quando jogou pelas pontas chegou no gol.

Não fez. E isso tem que ser visto. Mas foi dono da bola, comandou o meio-campo. E teveum problema: perdeu muitas bolas pelo alto, tanto na defesa quanto no ataque.

De resto, tchê, senti o sangue de Simón Bolivar pulsando nas minhas veias outra vez.
0 a 0 peleado, suado, vibrante. No fim do jogo, aos 40, eu já gritava pra TV: Acabou!!! Acabou!!! Agora é bago e pau!!!

É a Libertadores na sua essência. O adversário só deu balão, continuou sendo um time ruim, mas incomodou até o último segundo.

Não fizeram nada nos 89 minutos, mas no último quase marcaram, dando aquele susto final. Parece filme de terror, índio velho!

Agora é São Paulo ou Cruzeiro. Acho que dá São Paulo (só pra palpitar).

Na TV de plasma, o Grêmio. Na 14", o Inter

Vi de revesgueio o Inter. Acertei o resultado. Mas parece que o Colorado podia ter marcado pelo menos um gol. Deixo a análise vermelha para o Felipe.

______________

Grêmio na Libertadores

10 jogos

7 vitórias: Boyacá Chicó 0 x 1 Grêmio; Aurora 1 x 2 Grêmio; Grêmio 3 x 0 Aurora; Universidad de Chile 0 x 2 Grêmio; Grêmio 3 x 0 Boyacá Chicó; San Martín 1 x 3 Grêmio; Grêmio 2 x 0 San Martín

3 empates: Grêmio 0 x 0 Universidad de Chile; Caracas 1 x 1 Grêmio; Grêmio 0 x 0 Caracas

Gols (17 pró/3 contra): Souza e Maxi (4), Léo e Jonas (2), Tcheco, Fábio Santos, Rafael Marques, Réver e Herrera (1)

Assistências: Souza (4), Alex Mineiro, Tcheco, Herrera, Maxi e Jonas (1)

quarta-feira, 17 de junho de 2009

Estaremos contigo!

El Capitán! (e vencendor da nossa enquete!)

Dia de jogo decisivo é complicado. Muito nervoso, concentração em outras coisas quase não existe, pensamentos longe...

Tite vai colocar Danny na zaga e Índio na lateral ou apenas posicionar Danilo no lugar de Bolívar? Alguma cobertura especial dos volantes foi treinada para o lado esquerdo da zaga Colorada? Andrezinho vai fazer a mesma movimentação do D'ale, vai fechar mais o meio ou vai ficar um pouco mais adiantado? Alecsandro vai ficar preso à um zagueiro corintiano ou vai flutuar no ataque? Taison aberto pela esquerda, direita ou variando? Sandro será o elemento surpresa no ataque ou terá ordens restritas de não subir? Guiñazú deixará pedra sobre pedra?

E eles?

Dentinho, Ronaldo e mais um “atacante” formando um ataque triplo com a bola e marcação especial nos lados do campo sem a pelota? O substituto de André Santos vai guardar posição para as descidas do Alessandro pela direita? Cristian e Elias marcarão a saída de bola dos nossos volantes ou farão marcações individualizadas por setor? Ronaldo será Ronaldinho?
Estarei eu ficando biruta com tantos questionamentos táticos?

Comecei a escrever um texto sobre finais de campeonato e sobre futebol em si, mas vou deixar pro dia 1º de julho, quando o Gigante da Beira-Rio receberá o segundo tempo da decisão da Copa do Brasil '09. A final que eu queria aconteceu, e agora é só aproveitar e torcer.

Mais que isso não dá pra escrever. Agora é esperar que sejam dois jogos BALA, disputados e sem envolvimento de “terceiros” (Te cuida Héber!).

Deixo um vídeo pra lembrar da última vez que fizemos uma decisão em São Paulo. Acho que nunca vi o Inter jogar com tanta lucidez, fora de casa, quanto naquela noite. Que sirva de inspiração para nossos Guerreiros!

Palpite? 1 a 1 pela razão. Pela vontade, 1 a 2 pro Inter, dois gols do Nêgo Taison, emulando o “humilhador” Rafael Sóbis!

Remember Pedro Ernesto!

Vamo Vamo Inter!
Ps.: Acho que o Grêmio passa pelo Caracas hoje sem muitas dificuldades. E o Palmeiras vai ter que suar sangue pra passar pelo Nacional no Centenário. Veremos.

terça-feira, 16 de junho de 2009

Final

Repare como é troço bagual uma final.

Veja o caso da Copa do Brasil. Todo mundo quer ver este jogo entre Corinthians e Inter. Todo lugar que tu vais tem alguém comentando sobre este jogo. As outras partidas do dia ficam todas em segundo plano.

Aliás, não deveria ter outras partidas em dia de finais.

Todos param, todos querem assistir, saber quem será o campeão. Até eu, gremista, queria ver este duelo. Não verei porque não posso largar o Imortal para ver o maior rival. Não assistirei porque ambas as partidas serão no mesmo horário. Mas sentirei.

E buscarei mais tarde os melhores momentos e talvez o jogo todo. Quero saber quem saiu-se melhor nos primeiros 90 minutos.

Cara, uma final é um evento nacional, talvez continental, dependendo, mundial.

É um lance maior, mais importante. Tudo se define.

Imagine isso na cabeça do jogador. Se ele fizer um gol, é o herói. Se errar, poderá ser um fracassado para sempre. Tudo está em jogo. Tudo.

Aí, vem alguém muito inteligente e extingue a final do campeonato mais importante do país.

Como foram aceitar isso? Como nós, espectadores aceitamos um Brasileirão sem final.

Entendo a “justiça” dos pontos corridos. Até me esforço pra isso. Porém, jamais aceitarei um campeonato sem final.

Imagina se Inter e Corinthians tivessem definido em jogos de ida e volta, numa final, o Brasileirão 2005.

Pense se Grêmio e São Paulo, no ano passado, tivessem tirado a limpo quem era o melhor com um jogo no Olímpico e outro no Morumbi. Final, 180 minutos, nervos a flor da pele, jogos no domingo, casa cheia.

Defendo que o Brasileirão deve mesmo ser de pontos corridos, jogo ano todo, calendário pré definido, venda de ingressos antecipada e tudo mais.

Mas deveria ter, após as 38 rodadas, uma finalíssima entre o 1º e o 2º colocados. Dois jogos, o primeiro na casa do 2º e o segundo na casa do 1º.

E outra, troféu entregue no campo, na grama. Nada de festa de gala. Futebol não é isso.

Pense nas finais dos pontos corridos:

2007 – São Paulo x Santos
2006 – São Paulo x Inter
2004 – Santos x Atlético-PR
2003 – Cruzeiro x Santos

Comentários de um finalista nervoso (TUDO É FINAL!)


- Li essa notícia ontem de noite. E fiquei mais nervoso do que eu já tava! É final, é o jogo da vida, do semestre, do título, e nós sem 4 titulares absolutos (os laterais Bolívar e Kléber, Nilmar e o Maestro). Pode ser um miguézão essa lesão do D'ale, não que ele não esteja machucado, mas que dê para jogar... Mas acho que o que realmente pesa na não utilização dele no Pacaembu é o segundo amarelo que ele tem. Imagina ele ficar fora do SEGUNDO JOGO da final, em casa, precisando de um maestro para organizar o ataque?
Eu já vi o Fabiano jogar GRENAL depois de aparecer com a perna engessada, então...

- Guina fará a 100º batalha (vai dizer que ele "joga" agora?) com o manto Rubro. A gana com que ele vai jogar esse primeiro tempo da final da Copa do Brasil vai suprir algumas ausências, pode ter certeza. "Ô ooo Ô Ô ooo Ô ooo Ô Ô ooo GUI-ÑA-ZÚUUUU".

- Magrão saiu do treino de segunda com uma tipóia no braço! Ou teremos que acender fogueiras para queimar umas moças nas redondezas do Gigante ou o Inter vai contratar o Verón (La Bruja, pescou?)!

- Sorondo jogou muito no empate contra o Vitória no domingo, e o Danny também. Mas a zaga titular será Índio e Álvaro. A minha dupla ideal seria Índio e Sorondo improvisado pelo lado esquerdo da defesa, principalmente para fazer uma boa cobertura para o insuficiente (no ataque e na defesa) Marcelo Cordeiro (sim, tomara que ele faça o gol do título e toste a minha língua...).

- O Inter vai apostar nas infiltrações do Sandro trocando de posição com o Magrão (de tipóia ou não o Centurião da Maloka vai pro jogo!), nas escapadas do Taison e nos contra-golpes rápidos com lançamentos para o Alecsandro. Será que o Tite tem alguma outra jogada preparada para o jogo? Algo na movimentação do Andrezinho? Veremos.

Meu nome? Meu nome é Zinho. Andrezinho.

Ps.: Nilmar fez o gol da vitória do Brasil em Pernambuco, pelo menos a estadia dele na Seleção não foi totalmente desastrosa pra nós. Ganhamos dos Falsificados, uhuul (ironia é mato)!

Don Fernando Carvalho declara para Rádio Gaúcha:

- Não quero lamentar esses quatro desfalques para o jogo de quarta. O Inter formou um grupo justamente para essas situações. Está aí o Andrezinho que já marcou gol decisivo, o Alecsandro a mesma coisa – disse Carvalho.

Não lamentaremos Presidente, estamos contigo e com o Colorado dos Pampas!

segunda-feira, 15 de junho de 2009

Presidente fala besteira

Agora à noite, em entrevista à Rádio Gaúcha, o presidente gremista Duda Kroeff chutou o balde e me preocupou.

Disse ele sobre a contratação de Souza:

- Nós estamos tentando, mas no meu entendimento o PSG está pedindo demais. É muitos mais do que vale o jogador, apesar de eu julgá-lo indispensável ao Grêmio. Todo jogador tem seu valor, só que não podemos pagar o dobro do que ele vale. Nós temos um limite, vamos chegar nele na semana que vem. Se der deu, se não der paciência.

Presidente, nao é assim que se faz.

Já pensou no Souza ouvindo isso? Depois reclamam que o jogador não rende.

O presidente do clube vai numa rádio e diz que ele não vale o que pedem. Pode até pensar isso, eu até acho que nenhum jogador vale o que pagam, mas se eu sou o presidente, falo isso pra quem estou negociando, não numa rádio!

Depois, pra encerrar, ele mandou essa:

– O Renato Abreu está muito difícil, o jogador parece não ter vontade de vir para o Grêmio, pode ser que tenha outras propostas. Eu praticamente desisti desta negociação.

Essa falta de empenho, de ânimo, é inexplicável!

E tudo isso sobra pra quem? Pra quem?!
E ainda pedem pra torcida vir, lotar o estádio. É muita cara de pau!

Indiretamente do Maraca

Como disse, meu tio Edinho esteve no Maracanã para ver o Grêmio estrear o 4-4-2 diante do Fluminense.

De volta, me contou o que observou:

1. Diz ele que o esquema ajudou o Grêmio a posicionar-se melhor em campo – nenhuma novidade.
2. Ele viu o Tcheco sonolento e o Souza mal – acho que enquanto a diretoria não resolver o problema da transferência do Souza, ele não jogará bem. Pode ser por “mala”, mas também pode ser que a cabeça do cara não esteja bem com a indefinição.
3. Disse que o Alex Mineiro é o parceiro ideal pro Maxi. Disse que é mais técnico e dá opções para os meias – nenhuma novidade, mas falta fazer golos.
4. Achou o Douglas muito apavorado – nenhuma novidade, mas tem que dar mais cancha pro guri. E tranqüilidade também, tudo diferente do que “os home” têm feito.
5. Percebeu Adilson e Túlio muito bem – acho que esta dupla dará certíssimo. Aguardemos.
6. Falou que a torcida do Flu não botou medo nem na minha vó (que tava com ele lá), imagina nos adversários – nenhuma novidade.

Basicamente foi isso. Do Fluminense, Edinho contou que viu o Diogo (volante ex-graças a Deus-Grêmio), fazer bons cruzamentos como lateral-direito. E que o Thiago Neves tem as bases. Que o Conca é bom jogador e que o Fred não fez nada.

PS.: Ele ficou de mandar uma foto também, mas até agora necas. Se vier, posto. Enquanto isso, fique com os melhores momentos:




Números do Brasileirão 09

6 jogos

2 vitórias: Grêmio 2 x 0 Botafogo; Grêmio 3 x 0 Náutico

2 empates: Grêmio 1 x 1 Santos; Fluminense 0 x 0 Grêmio

2 derrotas: Atlético-MG 2 x 1 Grêmio; Vitória 1 x 0 Grêmio

Gol (7 pró / 4 contra): Souza (2); Jonas, Herrera, Réver, Maxi e Fábio Santos (1)
_______________________
Próximo jogo no Brasileiro: Goiás, no Olímpico, - sábado, dia 20, às 18h30.

---------------------------

Agora nada mais importa. Quarta-feira o Grêmio volta para a Continental. Já estávamos com saudades dela.

Tem gente achando o contra o Caracas um jogo-jogado. Mas só porque o futebol é imprevisível é que não podemos dizer que o Tricolor já está na Semi. Por isso, esperemos.

Aposto no 3 a 0 para o Grêmio. Dálhe!

domingo, 14 de junho de 2009

Nem tão longe, nem tão perto

Agora vocêixxx doixxx são oxx únicoxx zagueiroxxx. Ninguém passa!!! Ninguém Passa!!!- só pra imitar as legendas do Felipe - sem o mesmo humor refinado, claro

As agruras do torcedor distante voltam a me assombrar neste domingo ensolarado.

Enquanto Brusque vive de Fenajeep (Festa Nacional do Jeep), eu trabalho na cobertura da mesma, tentando achar uma maneira de acompanhar Grêmio e Fluminense nesta tarde.

Estarei no trabalho e, provavelmente, apenas com os fones de ouvido enterrados nas orelhas torcendo pelos golos no Maraca.
Estou privado de ver o que mais pedi nestes primeiros seis meses do ano: o 4-4-2 em campo. Tudo bem, ele voltou pra ficar.

Mas, para que nossos amigos do Grenalzito não fiquem sem aquela avaliação do jogo, aviso que mandei espiões ao Templo do Futebol Mundial.

Meu tio Edinho e meu vô Pedro estarão lá. Aproveitaram o feriadão e foram ao Rio e com certeza levarão aquele grito de alento ao Imortal.

Aliás, para os supersticiosos, aí vai: o último jogo que vi no campo foi Grêmio X Fluminense, em Porto Alegre, acompanhado do Edinho, pelo Brasileirão 08, 2 a 0 para o Tricolor dos Pampas, gols de Perea.

Hoje, arrisco dizer que o resultado se repete, com um de Maxi e outro de Tcheco. Anota aí.

Abaixo os outros palpites da rodada:

16h00 - Coritiba 1 x 0 Flamengo
16h00 - Goiás 2 x 2 Corinthians
16h00 - Atlético-MG 2 x 0 Náutico
16h00 - Fluminense 0 x 2 Grêmio
18h30 - Palmeiras 1 x 0 Cruzeiro
18h30 - Inter 2 x 1 Vitória
18h30 - Barueri 1 x 0 Avaí

sexta-feira, 12 de junho de 2009

Aquecimento Final

BUSCA RONALDO (e os Impedidos, lembram?)!

Dia 09 de Outubro de 1992. Pacaembu com quase 10 mil pessoas. Oitavas de final da Copa do Brasil, primeiro jogo em São Paulo.

As escalações:

Corinthians: Ronaldo, Wladmir, Marcelo Djian, Henrique e Nelsinho (depois Viola); Ezequiel, Wilson Mano (depois Edu Manga), Paulo Sério e Neto; Fabinho e Nílson. Técnico: Basílio.

Inter: Fernandez, Célio Lino, Célio Silva, Ricardo e Daniel (expulso); Norton (depois Zinho), Márcio Bittencourt, Elson e Marquinhos (depois Silas); Maurício e Gérson. Técnico: Antonio Lopes.

O árbitro da peleja foi o carioca Léo Feldman (que marca o pênalti no vídeo). Aplicou 3 amarelos e um vermelho para o Inter e nenhum cartão para o time paulista. O placar do jogo?

0 a 4 Colorado, sacramentando a vaga para as quartas de final, quando ocorreram dois GRENAIS . Os gols no Pacamebu foram do grande centroavante Gérson (dois gols neste jogo e 9 na competição, sendo o artilheiro), do volante Márcio Bittencourt (ex-Corinthians e que marcou seu primeiro gol como profissional neste jogo!) e do atacante Maurício.

O jogo da volta foi um 0 a 0 administrado pelo Colorado dos Pampas no Beira-Rio e vaga garantida. Depois desta fase o Inter passou ainda por Grêmio, Palmeiras e Fluminense, sagrando-se campeão. E como desta vez o jogo contra o Corinthians será a finalíssima, nem precisa ser um 0 a 4... um 1 a 2 pra nós já tá perfeito!

PS.: Prestem muita atenção na jogada que origina o gol do Inter no vídeo. Depois de uma falta cobrada pelo Neto que explode na trave, Elson lança rapidamente o Gérson na ponta esquerda. Ele arranca, passa do marcador e sofre a falta dentro da área. Este tipo de contra-ataque, principalmente pelo lado esquerdo do ataque Colorado e com lançamentos do Sandro ou do Magrão, podem decidir o jogo ao nosso favor. A mecânica da marcação do time paulista é melhor do lado esquerdo de sua defesa que do direito (que inclusive precisa da ajuda do atacante Jorge Henrique para funcionar). Ali pode estar o caminho do título.

terça-feira, 9 de junho de 2009

Cerveja como são as coisas...

"Se você pensa que é bonito ser feio / que é bonito ser feio..."

O GATÃO da foto aí de cima é o ROGER, que surgiu nas categorias de base Coloradas como um meia muito habilidoso e de futuro promissor. E subiu pro grupo profissional um pouco depois do Pato!

Hoje conheci o irmão do cara, ISRAEL (que, coitado, é a LATA do irmão mais novo e boleiro, só que pelo menos tem o cabelo curto), que trampa como programador de sistemas numa empresa lá do Paraná!

Pois o cara confirmou tudo que todo mundo sabia: o piá gosta é de festa, mais até do que de bola! E o mano Israel também me disse que depois que o Roger foi convidado para fazer teste num time Alemão, voltou achando que era o Adriano (palavras do cara mesmo!).

Roger passou pelo Náutico em 2008, e esse ano pelo Mirassol no Paulistão. Agora está no São Caetano para jogar a série B do Brasileiro. Nesse meio tempo o Muricy chegou a conversar com o guri pra ele ir pro São Paulo (Muricy conhecia ele da base do Inter), mas o negócio não se concretizou. Alguma dúvida que foram os problemas extra-campo?

O guri tem apenas 22 anos e pelo que me disse o irmão dele, só um milagre pra botar a cabeça dele na linha. Um talento que muito provavelmente vai ficar no quase.

segunda-feira, 8 de junho de 2009

Ligue Djá!

Estatísticas Coloradas no Brasileiro:

5 jogos (7 gols pró / 2 Contra)
4 Vitórias (Corinthians 0 x 1 Inter; Inter 2 x 0 Palmeiras; Goiás 0 x 1 Inter; Inter 2 x 1 Avaí)
1 Empate (Cruzeiro 1 x 1 Inter)

Gols:
Nilmar – 1
Danny Morais – 1
D’alessandro – 1
Taison – 1
Alecsandro – 1
Talles Cunha – 1
Magrão – 1

Assistências:
D’alessandro – 1
Taison – 1
Marcelo Cordeiro – 1
Kléber – 1
Andrezinho – 1

Dos 5 primeiros jogos no Brasileiro o Raio-X é este aí em cima. De 15 pontos em disputa conquistamos 13, uma média espetacular! O melhor desta arrancada é que dos 9 pontos disputados fora de casa o time conquistou 7, sendo 4 contra equipes que disputarão posições lá em cima da tabela (Cruzeiro e Corinthians). E em casa 100%, dois jogos e duas vitórias.

O jogo de ontem eu vi num bar, meio de longe, portanto minhas análises técnicas e táticas estão totalmente prejudicadas! O que posso dizer é que o Giuliano perdeu outra chance de matar um jogo, e isso prova a diferença entre um TITULAR e uma BOA OPÇÃO DE ELENCO. O guri ainda é a segunda. E depois de um começo muito bom e do gol, o time começou a querer recuar! Depois das expulsões então, aí foi segurar o desordenado e rápido Cruzeiro, que conseguiu empatar no início do segundo tempo, mas que lá pela metade da etapa final estava totalmente sem pernas. Michel Alves entrou muito bem, e os destaques do time foram Magrão, o incansável Taison e o X-Men Guiñazú!

Agora num esforço “WalterMercadiano”, vamos analisar os próximos 5 jogos do Inter no Brasileiro e projetar quantos pontos o time pode angariar nessas rodadas:

Inter e Vitória (dia 14/06) – Time praticamente reserva em função do primeiro jogo da final da Copa do Brasil (17/06) e dos desfalques da Seleção (0 x 4 no Uruguai em Montevideo!), mas com Beira-Rio lotado e time reserva praticamente entrosado, dá pra ganhar do bom time do Vitória. 2 a 0.

Flamengo e Inter (dia 21/06) – Como há um espaço entre o primeiro jogo da final, em São Paulo, e o segundo no Gigante, aqui o time pode ter mais titulares que reservas. O Flamengo é uma incógnita, pois oscila muito (em função do esquema tático do Cuca e do condicionamento físico do grupo). Mas no Maracanã o ataque deles está funcionando novamente. 2 a 2, mas se tiver o retrancão pode ser outro 1 a 1.

Inter e Coritiba (dia 27/06) – Jogo 4 dias antes da grande final! Alguma dúvida de que o time será todo reserva? Nesse jogo é capaz até do piá MARINHO e o base e amigo do Pato TALES finalmente jogarem! O Coritiba está muito mal na tabela, mas é um time com bons nomes no elenco. O Renê tá mais perdido que o Cuca depois de clássico, mas esses jogos sempre são perigosos. Como é jogo em casa, apostarei na força do Inter no Beira-Rio (que desde a exigência dos 100% no ano em casa do Fernando Carvalho parece que o pessoal entendeu o recado!). 2 a 1.

Náutico e Inter (dia 05/07) – Jogo 4 dias depois da grande final! Se for o jogo do pós-título (é o que esperamos!), o time vai de ressaca. Se for o jogo do pós-vice (bate no compensado!), o abalo vai ser grande. Penso que aqui pode ser a primeira derrota na competição, mesmo com os possíveis acréscimos de Nilmar e Kléber ao time. 1 a 0.

Atlético-PR e Inter (dia 12/07) – Historicamente o Inter vai bem na Arena da Baixada (vide Oitavas da Copa João Havelange). Aposto em mais uma vitória fora de casa, até pelo momento que atravessa o rubronegro paranaense (acabou de perder o técnico e tomou 4 em casa do Galo do ROTH, vejam só!). 1 a 3.

10 pontos ganhos em 15 à disputar, chegando a 23 depois de 10 rodadas. Isso pelas minhas previsões, mas o ganho de pontos nesses 5 jogos deve variar entre 8 e 12. Só o tempo e as condições de utilização do elenco pelo Tite dirão. O que precisa mudar é a lógica “agressivo em casa / retrancado fora”, até porque esquema tático é esse aí mesmo, e será até o final do ano.

PG %
1 Internacional 13 87%
2 Atlético (MG) 11 73%
3 Vitória 9 60%
4 Santos 9 60%
5 Náutico 8 53%
6 Palmeiras 8 53%
7 Fluminense 8 53%
8 Grêmio 7 47%
9 Corinthians 7 47%
10 Cruzeiro 7 47%
11 Flamengo 7 47%
12 São Paulo 6 40%
13 Goiás 6 40%
14 Santo André 6 40%
15 Sport Recife 5 33%
16 Barueri 4 27%
17 Avaí 4 27%
18 Botafogo 3 20%
19 Coritiba 1 7%
20 Atlético (PR) 1 7%

Tabela: FinalSports

domingo, 7 de junho de 2009

Desafio Grenalzito

Há uma semana esta figura ao meu lado aí na foto esteve em Guabiruba, cidade vizinha de Brusque.

E, outro dia, vendo os vídeos da final do mundial de 95, vi que ele aparece na hora das cobranças de pênalti vergando o manto tricolor.

Era banco daquele grande time. Chegou com a indicação de Felipão, trazido do Criciúma campeão da Copa do Brasil de 91.

Quem é ele?
-- (ao fundo, na foto, aparecem outros dois jogadores. Um deles jogou tanto no Grêmio quanto no Inter. Quem souber isso também é mestre).

Segue o vídeo para ajudar:

sexta-feira, 5 de junho de 2009

Nas margens da final D’alessandro comemorou e chorou


O Inter jogando fora de casa é aquele aluno que nem estuda e passa só na prova de exame, depois de uma penosa recuperação. Todo mundo já estudou com um desgraçado desses. Tu lá te esgoelando pra pegar recuperação no menor número de matérias possíveis e ele lá, tranquilão com suas notas vermelhas (se meus termos “pedagógicos” estiverem muito arcaicos ou muito modernos, peço desculpas desde já). Se esse cara estudasse um pouco que fosse, ele passaria por média com o pé nas costas, mas não. Ele prefere levar na flauta e tirar exatamente a nota que ele precisa pra passar, como se fosse um deboche com o professor. “Se eu quisesse tirava 10, mas prefiro avacalhar tua aula”! Senão vejamos:

O 0 a 1 contra o Corinthians foi aquele exame de Física que o cara precisa de 5,5 pra passar, vai lá e tira 7, só de sacanagem!

O 0 a 0 contra o Flamengo foi aquela recuperação idiota em Educação Física, desnecessária! Nosso aluno podia ter tirado um 10, mas preferiu só fazer o exigido pelo professor (15 voltas na quadra e 100 abdominais?) e tirou um 5 raspando!

Já a derrota pro Coritiba por 1 a 0 foi o seguinte: nosso aluno levou TÃO na sacanagem a matéria (digamos assim, literatura, fazendo uma alusão ao filósofo de auto-ajuda Renê Simões) que mesmo na última prova não conseguiu a média pra passar... Precisava de 5 e tirou 4,8!

Mas como todo mundo no colégio sabe que ele é inteligente e tem potencial, passaram o infeliz na esperança que ele leve a sério o próximo ano, que será bem mais difícil!

Falando do jogo mesmo, rapidamente:

- Bolívar melhor em campo, apesar da expulsão. E tem gente que fala mal dele...
- Cordeiro pior em campo disparado. Kléber fez muita falta. E tem gente que fala mal dele...
- Os quatro goleiros das semifinais da Copa do Brasil jogaram muito (Lauro, Felipe, Vanderlei e Fernando), mas o Lauro e o Felipe estão levando seus times nas costas na competição. Merecem estar na final.
- Jogamos de maneira medrosa, covarde até, sim eu sei... Mas defensivamente esse time prova que é tão bom quanto seu ataque. É óbvio que provar isso LEVANDO SUFOCO é totalmente desnecessário e altamente “sacanageiro” com quem quase tem um ataque “cardiáco” olhando o jogo na TV. Mas né, se o Tite resolve “Abelar”e coloca um time faceirinho fora de casa, na chegada à Porto Alegre as tochas estarão esperando por ele no Salgado Filho.

Agora sobre o choro do D’ale

Vendo o último ranking dos maiores salários do Brasil divulgado pela Placar, tu descobres que o Nilmar leva mais de 400 contos todo mês pra casa. E o Cabezón ganha 200 e uns quebrados. Outras fontes dizem que chega a trezentas milhas o montante mensal que o gringo arrecada. Pois eu digo que vale cada centavo! A maioria disse que a atitude de chorar ainda no campo do argentino foi marqueteira e forçada, tal qual um Luizão beijando o escudo do próximo time que ele defende, mas que ele nem sabe o nome direito!

D’alessandro é diferente porque é portenho, tem sangue nas veias, é um cara apaixonado. Não é necessariamente torcedor do Inter (torce pro River desde piá, como mostrei num vídeo aqui no blog), apenas é simpatizante desta equipe Rubra do sul do “maior rival” do seu país. Mas ele por ser argentino, entende o futebol de uma maneira que poucos brasileiros entendem. Para eles o futebol transcende o plano do material, e por isso esses arroubos. Por isso ainda se emocionam com um time que nem o seu de coração é. Por isso Sorín dá a vida no Cruzeiro, por isso a torcida do Corinthians se identificava com Carlitos Tevez. Por isso são ídolos e fãs ao mesmo tempo. La Boba para sempre, obrigado D’alessandro!

quinta-feira, 4 de junho de 2009

Tem que melhorar

Não é que eu queira o Grêmio jogando como o Barcelona. Não, isso nem é de Grêmio.

Mas tem que jogar mais que jogou hoje, contra o Náutico.

Aí vai ter gente me chamando de "corneteiro", de "socialista" (não daquele que divide), daquele que senta nas cadeiras.

Só que tapar o sol com a peneira não dá. Tá provado.

O Tricolor não foi beeeem hoje, apesar dos 3 a 0. Os problemas reaparecerem. Meio longe, time descompactado.

O Autuori demorou pra mexer de novo. Trocou só depois dos 30. E o Grêmio só tirou o zero do marcador com um gol irregular, quando não jogava nada.

O Ruy foi mal outra vez, errando quase todos os cruzamentos, fundamento básico para um lateral.
Queremos mais garra, mais empenho, mais troca de passes, infiltrações. Não precisa fazer 3 a 0, mas tem que jogar com mais coerência, com mais tranquilidade. O Grêmio não pode ser um time apavorado, que erra passes de cinco metros, o que aconteceu hoje.
Porém, não fiquemos só no ruim. A zaga foi bem. Marcelo Groe também.

E no fim, Autuori disse que o 4-4-2 será o esquema contra o Fluminense, daqui a 10 dias. E que, uma vez alterado, o 3-5-2 ficará pra trás.

Ótimo. Agora ele terá 10 dias de treinos para azeitar o novo esquema que, acredito, fará bem ao Grêmio.

É um sistema de jogo mais sólido, mais bem distribuido, mais fácil de ser variado. Aguardemos.

Outras considerações:
Souza -> Ele disse no final do jogo que "a conversa na França foi boa e a coisa tá andando bem". E que deve ser de compra. Se for, acerta em cheio a direção.

Maxi -> Os dois (ele e Souza) acabaram com o ti-ti-ti da imprensa. Fizeram os gols, comemoraram juntos, deram entrevista juntos. E o Maxi voltou a fazer gol. Isso que vale pra centroavante.

Alex Mineiro -> Melhorou. Deu o passe pro primeiro gol e movimentou-se melhor. Também, quando teve a bola, ganhou dela.

Joilson -> entrou bem e, numa chance que teve, cruzou na cabeça do Maxi.

Torcida -> cadê a galera? Vergonheira não ir para o estádio numa quinta-feira, nove horas da noite. A mulherada foi. Mas cadê os bumbos, os cantos, a Geral lotada? Correram pro friozinho?

________________

\\ Frase da noite //
– O que aconteceu foi que o Maxi havia falado uma coisa que eu ouvi e não gostei. Mas o Maxi é meu amigo. Uma pessoa que aprendi a gostar. isto é do jogo. Aqui não tem santo. Futebol é coisa pra macho e não para menina. Você não pode falar nada que vira polêmica.

Ass.: Souza
________________

Palpitaria:

Coríntia 0 x 0 Coxa
Sport 2 x 0 Flamengo
Palmeiras 1 x 1 Vitória
Avaí 1 x 0 São Paulo
Cruzeiro 2 x 1 Inter

quarta-feira, 3 de junho de 2009

PELEIA!

CORITIBA
Vanderlei; Felipe, Cleiton e Pereira; Marcio Gabriel, Leandro Donizete, Rodrigo Mancha, Marcelinho Paraíba e Carlinhos Paraíba; Marcos Aurélio e Ariel Nahuelpan.
Técnico: René Simões

INTER
Lauro; Bolívar, Indio, Álvaro e Marcelo Cordeiro; Sandro, Guiñazú, Magrão e D’Alessandro; Taison e Alecsandro.
Técnico: Tite

Palpite para o jogo: 1x1, gol do Inter marcado de cabeça pelo contestado "Simon" Bolívar!

Todo mundo com os pensamentos voltados para o Alto da Glória, para esquentar a noite glacial de Curitiba com o vermelho da Alma Colorada!

Pensamentos de Guina depois de ficar de fora dos dois últimos jogos: "GRRRRRRRRR"