sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

GRE-NAL 375: Seguirá o tabu?

E voltaram as aulas da faculdade! Com isso perdi o jogo do Inter de quinta, e também joguei minha última pelada do semestre. Agora só num final de semana esporádico ou numa matada de aula estratégica (com aval da namorada, claro).

Mas o que interessa é que pra ver o meu Colorado sempre dou um jeito! Vendo o compacto do jogo, alguns erros continuam se repetindo, principalmente os defensivos. Contra times maiores dar chances assim é mortal. E sobre o meio e o ataque, não acho que esteja essa "naba" toda que estão pintando por aí. Tá faltando um pouco mais de entrega - e parar de pensar que o adversário é pequeno, todo jogo é jogo! -, mas qualidade sobra! Quer uma prova? Muita atenção quando o vídeo chegar aos 21 segundos (E depois dos 30 aos 34):



Agora volta lá na bilheteria e paga o ingresso de novo!

E domingo segundo GRE-NAL do ano! D'ale não jogará por causa de cartão amarelo. Poderia fazer uma crítica ao craque do time, mas não dá. Pode prejudicar ele e a equipe às vezes, mas eu acho muito bala o estilo do cara! Reclama, briga, incomoda todo mundo, nunca se conforma, vai pra luta se precisar! De jogador sangue de barata o futebol mundial tá cheio, quero ver um cara de personalidade como o D'ale. Azar dos caretas! Segue dando o sangue pela camisa rubra que a torcida vai te idolatrar cada vez mais Cabezón! Assim como o teu compatriota e nosso capitão Guina Cholo. Mais raçudo que esse só o Gattuso!


Andrezinho jogará no lugar do "jaqueta 15", ficando com a função da armação das jogadas. Na frente, Taison e Nilmar. Se não sabem como funcionará este ataque, perguntem pro volante gremista ADILSON. Ele deve lembrar bem...

Mas falando sério, não sei se ganharemos este clássico. Faz 5 jogos que o Grêmio não ganha GRE-NAL, foram eliminados da Sulamericana ano passado, perderam 3 pontos que decidiram o Brasileirão em favor do São Paulo, e no primeiro confronto neste 2009 nova vitória nossa! Olha a declaração do presidente azul: 'Está na hora de vencer um Gre-Nal' (http://globoesporte.globo.com/Esportes/Noticias/Futebol/Campeonato_Gaucho/0,,MUL1021615-9836,00.html)!

Nossas vantagens são o mar vermelho que com certeza lotará o Gigante e a vontade do time de provar que realmente é um dos 3 melhores do Brasil. Se fosse pra apostar dinheiro faria um duplo: coluna do meio e vitória do Inter. E não é questão de pessimismo, tomara que o jogo desminta minha análise fajuta, mas ganhar 3 clássicos consecutivos não acontece sempre. Tomara que domingo de noite eu volte a escrever pra falar dessa façanha, construída com gols de Nilmar e Magrão (dois palpites dessa vez: 1x1 ou 2xo nós)

Números Colorados no ano:

11 Jogos (23 gols pró / 6 gols contra)

2 Empates (Inter 0 x 0 Santa Cruz; Ypiranga 0 x 0 Inter)

1 Derrota (União Rondonópolis 1 x 0 Inter)

8 Vitórias (São José 1 x 3 Inter; São Luiz 0 x 1 Inter; Inter 4 x 0 Sapucaiense; Inter 4 x 1 Ulbra; Grêmio 1 x 2 Inter; Inter 5 x 1 Caxias; Inter 2 x 1 Ulbra; Inter 2 x 0 Novo Hamburgo)

Gols ---> 8 Taison; 4 Nilmar; 3 Alex; 2 Andrezinho; 2 D'alessandro; 1 Marcelo Cordeiro; 1 Talles Cunha; 1 Magrão; 1 Índio

Assistências ---> 3 Nilmar; 3 Marcelo Cordeiro; 3 Kléber; 2 Andrezinho; 1 Taison; 1 Magrão; 1 D'alessandro; 1 Talles Cunha; 1 Alex

Passa


Hoje nenhum gremista pode reclamar do time reserva. Seria impossível correr tudo o que correram os titulares na quarta e jogar novamente hoje e domingo.

Mesmo assim, os reservas tricolores TÊM QUE ser melhores que os titulares do Veranópolis.

Makelele deve ser improvisado na lateral-direita, já que o júnior Wellington foi emprestado para o Pão de Açúcar-SP.

Com isso é provável que Seu Celso opte pelo 4-4-2 com Marcelo Grohe; Makelele, Léo, Heverton e Fábio Santos; Diogo, Orteman, Maylson e Douglas Costa; Reinaldo e Roberson.

O que me dá arrepio é esse ataque. Dizem que o guri Róberson é “bolero”, mas preciso ver pra saber.

Apostaria uma “cokinha” que o Grêmio passa, mesmo que tenha perdido na fase de grupos por 3 a 1 – show de Dinei, do Veranópolis.

Palpite: 1 a 0 para o Tricolor.

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

Serra Elétrica Inacreditável

Completamos um mês de Grenalzito hoje, 26 de fevereiro.
Chegamos a marca após o Grêmio massacrar o time universitário do Chile na estreia da Libertadores.

Eu nunca tinha visto disso! Uma superioridade tão grande e nenhum gol marcado. O Tricolor chutou tanto, criou tanto, que isso acabou fazendo mal.

Cada bola que não entrava, dobrava a ansiedade dos jogadores e da torcida. O Grêmio tentou de cabeça, pelo chão, de falta, de perto, de longe, com o goleiro batido, com o goleiro salvando, depois que o juiz já tinha parado o lance, e não deu porque a bola não ia entrar de jeito nenhum ontem à noite. Foi inacreditável. Veja o vídeo lá embaixo.

Mas, vamos às análises frias:
*O 3-5-2 do Seu Celso foi perfeito na essência. Os laterais quase nem voltaram (tá certo que La U não exigiu isso deles), jogaram do meio pra frente.

*O Grêmio não escolheu lado para subir. Tanto pela esquerda com Jadilson, que foi novidade na escalação, quanto pela direita, com Ruy, o Tricolor foi perigoso.

*Também não optou só pelo meio. O Grêmio foi arrasador no ataque. Não fez gols, certo, mas criou jogadas individuais, fez tabelas, infiltrações. Jogou futebol total, como eu não via jogar desde.... faz tempo. Não foi um time limitado por uma jogada.

*A Geral voltou e isso é bom. Não sei o acordo que fizeram, mas esteve lá 90 minutos cantando.

*La U é um time com um goleiro muito bom e um bom toque de bola.
*No grupo 7, ficou bom para o Boyacá, que venceu seu jogo fora de casa contra o Aurora e tem 3 pontos, contra 1 do Grêmio e 1 do Universidad do Chile.

*Se o Grêmio jogar assim fora de casa também, certamente irá longe na competição. O gol sairá. É impossível não acontecer.

Notas:
Victor:
Sem nota, não foi exigido em nenhum lance.

Léo: 8 - Reapareu bem depois das primeiras rodadas abaixo de seu futebol no gauchão. Saiu jogando com categoria sempre que necessário.

Réver: 7 - Foi o zagueiro que menos jogou. É baita jogador, mas às vezes parece lento ao correr atrás dos atacantes. No ataque, deu uma cabeçada que poderia ter sido gol. Saiu raspando o travessão.

Rafa Marques: 8 - Foi como o Léo e também deu uma cabeçada no ataque que quase foi gol. A bola saiu riscando a trave.

Ruy: 8 - Foi ao fundo, apareceu sempre. Errou um chute na chance clara de gol.

Jadilson: 7,5 - É incisivo no apoio, mas às vezes parece júnior por se embasbacar demais com a bola. Precisa ser mais objetivo em algumas bolas. Mas cruza muito bem e venceu quase sempre o marcador.

Adilson: 9 - Revezou-se com Tcheco na primeira e segunda função da meia-cancha. Não sai mais do time. Marcou pra cacildis!!!! Saiu jogando com qualidade, estava em todas as partes do campo, mostrou um vigor físico impressionante. Encaixou.

Tcheco: 8,5 - Dizem que o Maestro some em jogos decisivos. Pois este era (pela importância da estreia na Continental) e Tchequito esteve muito presente. Armou, organizou, cobrou o árbitro, cobrou faltas muito bem e até fez jogadas individuais. Ah, fez um corta-luz pra deizar Rivaldo com inveja.

Souza: 8,5 - Está impoissível. Driblou, cobrou faltas e correu muito. Foi um jogador perigoso o tempo todo. E mostrou estar com sua pontaria em dia nos chutes de longa distância. Não fosse a sorte do goleiro da La U, teria tomado aquela falta na boca e estaria até agora vendo estrelas.

Jonas: 8 - No geral foi bem, mas ele e o Alex Mineiro às vezes estavam longe, outras, perto demais. Sofreu pênalti que o juiz não marcou e fez boas jogadas individuais.

Alex Mineiro: 7 - Demorou pra entrar no ritmo acelerado da Libertadores. Driblou o goleiro (depois do corta-luz do Tcheco), mas errou o chute sem gol.

--> Reinaldo: 3 - Entrou e não deu opções diferentes para o ataque.
--> Douglas Costa: 5 - Entrou e só fez firulas. Recebeu 5 porque pra fazer firulas tem que ter as bases também. Precisa ser mais objetivo e tocar mais a bola.
--> Fábio Santos: Sem nota - não participou o suficiente.

Ídolos

Só jogaço pela Champions nesta quarta! Liverpool muito bem montado em Madrid, ox1 no desorganizado Real. O Chelsea ressurge contra a Juventus, 1x0 Drogba. Mas a Vecchia Senora jogou bem, e ainda segue com chances de dar o troco em Turim. E o outro jogo que eu vi: uma monumental goleada do Bayern de Munique pra cima do Sporting de Lisboa, 0x5! Luca Toni, Klose, Phillipe Lahm, Van Bommel, Schweinsteiger, Zé Roberto e o sensacional Frank Ribéry. O francês com cara de susto é com certeza um dos melhores do mundo, mas assim como Tévez, Rooney e Hleb sofre de "feíura e antimarketing" agudos. Jurgen Klisman vai mansamente montando um time poderoso e que pode desbancar muitos favoritos na Champions desse ano. Mas em muitos anos não tem o título da Bundesliga garantido...

Mas aí olhando esses jogos nesses estádios perfeitos, arquibancadas lotadas e jogadores de qualidade, eu encontrei antigos ídolos - relativamente recentes - da dupla GRE-NAL! Lucas, Fábio Rochemback, Lúcio, Anderson Polga. Alguns deles jogaram muito pouco tempo por aqui, mas mesmo assim deixaram lembranças nos torcedores. Aí por outro lado vejo ídolos muito mais antigos nos times europeus, com números absurdos, e me pergunto se um dia teremos jogadores tão identificados assim com as cores das equipes gaúchas, como era em tempos dos quais só li sobre ou ouvi histórias contadas pelo meu avô.

Deixo aqui exemplos e números, pra que fique claro que nos últimos anos o Inter conseguiu manter jogadores (os importantes ou nem tanto) numa média muito boa para o futebol brasileiro. Porém ainda abaixo dos números do futebol estrangeiro.

Alessandro Del Piero250 tentos pela Juventus de Turim, além de 18 anos de clube.

Raúl González311 gols em quase 17 anos com a camisa Merengue.

Martín Palermo – Balançou as redes pelo Boca Juniors mais de 180 vezes em 8 anos (entre idas e vindas). É o maior artilheiro da história do clube.

Agora os nossos ídolos mais recentes (favor concordar ou discordar nos comentários):

Fernando Lúcio da Costa, ou FernanDEUS190 jogos e 77 gols em quatro anos de clube. Capitão e símbolo de uma das fases mais vitoriosas do Inter em toda sua história.

Clemer Melo da Silva354 jogos, 1 gol e sete anos de serviços prestados. Um dos goleiros mais vitoriosos a vestir a camisa Colorada.

Pedro Iarley130 jogos, mais de 40 gols, três anos em Porto Alegre. Colaborou muito em 2006 para conquista do título mundial.

Alex Raphael167 jogos, 57 gols em 5 anos de Inter. Mais um jogador que representa um período vitorioso para os torcedores, mesmo que muitos não aprovavam seu futebol nos primeiros anos no clube.

Nilmar125 jogos, 48 gols, idas e vindas e uma relação de amor e ódio com o torcedor. Mas é um talento do mesmo nível de Alexandre Pato.

terça-feira, 24 de fevereiro de 2009

TRI

Nada mais importa. Tudo que vale a partir de agora é a Continental. Qualquer outro campeonato (eu disse "campeonato", não GRE-NAL) fica desmerecido, esquecido, de lado, nesta época de Libertadores.

Ao menos é assim para qualquer gremista que se preze.
Copa Libertadores da América é uma obsessão para a nação tricolor desde 1983, quando Renato e Cia trouxeram a primeira taça pro RS.

Não encontro palavras pra descrever o que significa a Libertadores, apenas posso dizer que ando dormindo mal nos últimos tempos e nada me angustia mais do que a espera por esta competição.
Pra mim, ano que o Grêmio não joga a Continental, é ano incompleto, perde um pouco da graça.
Por isso comemoramos tanto a vaga conquistada no Brasileirão. Os colorados não entendem, mas é que temos relação íntima com ela.

Foram 11 participações até aqui. O Grêmio é o terceiro clube brasileiro que mais vezes disputou a Continental e, como diria Eduardo Bueno,"é o único que realmente pode disputá-la, porque é o único que não é brasileiro de fato" - veja mais no vídeo.

Mas, antes do vídeo, veja esta pequena estatística das participações do Tricolor dos Pampas na Libertadores:

1982: 13o.
1983: Campeão
1984: Vice
1990: 17o.
1995: Campeão
1996: 4o.
1997: 5o.
1998: 6o.
2002: 3o.
2003: 5o.
2007: Vice



Esta entrevista tem seis partes. Procure-as no YouTube. Vale a pena.

De volta

Acabou o carnaval e "começa" o ano no país! Ritmo normal no que ainda estava meio devagar. Incluindo o futebol! Depois de pouco mais de um mês de partidas, o bicho começa a pegar é agora, a partir de março.
Portanto vamos fazer um "resumo" desse começo de temporada colorada, analisando os prós e os contras da equipe do Gigante. Gigante, aliás, que vai receber jogo de Eliminatórias de Copa do Mundo, falaremos mais adelante.

PRÓS:

Pré-temporada em Bento - Começo de ano no interior quase sempre é uma boa. Menos gasto e mais concentração nos trabalhos. Além disso a torcida do interior tem contato com os ídolos, coisa difícil durante o ano.

Contratações - Lateral esquerdo de seleção, centroavante de área, dois meias promissores e um lateral direito pra ser moldado. Somando aos garotos da base e as afirmações do ano passado, a diretoria foi quase perfeita (Fernando Carvalho um dos maiores dirigentes nos cem anos de história Colorada, sem dúvidas).

Manutenção e Vendas - O ciclo de Edinho realmente havia terminado no Beira Rio. Foi bom para ele e bom para o clube, e a torcida tem que agradecer (e muito) ao Guerreiro! Já a venda de Alex, se não foi completamente satisfatória, teve que ser feita. Nem tanto para manter a saúde financeira do clube, mas pelo simples fato de que o jogador queria sair! E nesse caso a coisa complica... Não faço parte da turma que colocava todos problemas ofensivos do time em cima do meia, muito pelo contrário, mas pelos últimos meses sua relação com o torcedor estava ficando desgastada. A transferência foi inevitável. E com ela, ou elas se incluirmos a de Edinho, Nilmar e D'alessandro ficaram!


Vitória no GRE-NAL - Nem precisa explicar!

Taison - O piá tá cada vez mais confiante, e era só disso que ele precisava. Talento, habilidade, rapidez... Atacante Made in Inter!

CONTRAS:

Alterações Táticas: Quase nenhuma. Mesmo quando jogam os reservas, o desenho tático e a distribuição das peças são iguais! A hora de experimentar é agora, nos primeiros meses e no estadual, e ainda dá tempo (segundo turno, por exemplo). Só falta coragem do departamento de futebol para autorizar e do Tite para executar. Se não fizer agora, acontece isso...

Estréia na Copa do Brasil - Primeira derrota da temporada e para um time inexpressivo. Jogar fora de casa não pode ser um tormento como foi em 2007 e 2008 (menos na Sulamericana, onde o esquema de duas linhas do Tite funcionou muito bem). Para isso é preciso TENTAR FORMAS DIFERENTES DE ARMAR A EQUIPE. Tô ficando chato, mas é um negócio óbvio! Ah, e precisa ter VONTADE, contra QUALQUER TIME, em todos os jogos!

Capitão - Guina já é uma afirmação no grupo. Com certeza é o jogador mais querido pelo torcedor e por todos no clube, além de ser um figuraça! Só ver ele treinando de capa de chuva, com 1000º em POA, para suar e se dedicar mais já dá a dimensão da importância dessa cara pro time. Por essa liderança natural do Cholo, achava melhor outro capitão. Magrão, Índio, Álvaro. Ver o Guiñazú marcando em campo é muito mais importante que uma braçadeira.

Bolívar - Lateral, zagueiro... A situação do cara tem que ser DEFINIDA! Ele tem posição, mas pode ajudar na outra, e não ficar sem saber como vai jogar durante o ano todo! E o Arílton que iria jogar na ala, foi considerado "muito fraco fisicamente". Assim como o Angelo ano passado. "Há algo de podre na lateral direita colorada"...

Prioridades - Elenco numeroso, categoria de base (que eu acho ainda mal explorada, diante da quantidade de guris talentosos), condições financeiras e estruturais... E porque com tudo isso teríamos de "priorizar" um campeonato ao outro? É só ter um time reserva bem montado e com "horas de voo" no Gauchão para que possamos passar o ano todo jogando competitivamente, em todas competições! O modelo dos times europeus está aí para ser copiado...

Time provável para pegar o Nóia pelas semifinais do Gaúcho 09, Taça Fernando Carvalho - Lauro, Bolívar, Índio, Álvaro e Kléber; Sandro, Magrão, Guiñazu e D’Alessandro; Taison e Nilmar.
Depois do jogo de quinta, atualização das Estatísticas Coloradas 09!

Quase

Bugrão, tá chegando a hora! Começou a concentração.
Amanhã, às 21h45, estaremos, pela 12a. vez, jogando a maior competição do futebol mundial.
Impossível não se contagiar.



Data dos jogos na primeira fase:
25/02 Qua 21:50h Grêmio x U. de Chile
11/03 Qua 19:50h Boyacá Chicó (COL) x Grêmio
25/03 Qua 20:50h Aurora (BOL) x Grêmio
07/04 Ter 19:00h Grêmio x Aurora (BOL)
15/04 Qua 20:50h U. de Chile (CHI) x Grêmio
28/04 Ter 19:30h Grêmio x Boyacá Chicó (COL)

Curiosidade:
Em reunião do Conselho Deliberativo do Grêmio FBPA, realizado em 23.04.1985, foi aprovada a proposição de inserir na camisa três estrelas, como símbolo das maiores conquistas do clube em similitude à tradicional premiação da escala olímpica: ouro, para representar o Campeonato Mundial Interclubes de 1983; prata, para representar o titulo da Taça Libertadores da América; bronze, para assinalar a conquista do Campeonato Brasileiro.

Na bandeira, o Conselho Deliberativo em sessão solene de 29.06.1970, perpetuou oficialmente a figura lendária de Everaldo na história do clube, quando foi fixada no Pavilhão Tricolor uma estrela de ouro, assinalando definitiva e perenemente a contribuição do clube, através da participação deste atleta na conquista pelo Brasil do tricampeonato mundial de futebol em 1970.

domingo, 22 de fevereiro de 2009

Loucura

Como analisar um jogo em que o goleiro é expulso no primeiro lance?



Vendo que o Alex Mineiro fez dois gols de centroavante. No primeiro ele estava no lugar certo, na hora certa, só pra empurrar a pelota pras redes.

No outro, estava no lugar certo, na hora certa, desmarcado, e cabeceou pro chão, no canto, tirando do goleiro, e correu pro abraço. Alex Mineiro, o nome da fera.

No ano passado, num lance desses, a bola ia bater na cabeça do nosso centroavante e ia voar pra qualquer lado, menos pra dentro do gol.

A maioria chiou porque Roth tirou Jonas e NÃO Alex Mineiro pra entrada de Marcelo no gol. Até eu deu uma chiadinha (que é pra não perder o costume), mas ninguém duvida que Alex Mineiro é mais jogador que Jonas. Qualquer um que ficasse, faria bem.



Não vou esquecer que o Juventude também teve um jogador expulso, aos 8 minutos. O juizão, Márcio Chagas da Silva, se perdeu e tentou compensar em um lance que mal-e-mal falta foi. Por pouco não jogou a partida fora.

O que era pra ter sido um treino pra quarta-feira, virou um jogo louco.

Roth disse que armou um esquema com três zagueiros, três volantes - colocou o Souza na frente deles - um atacante e dois laterais soltos.

Deu certo contra o Juventude. Adilson voltou a mostrar bom futebol. Diogo entrou no segundo tempo no lugar de Réver (saiu machucado - preocupação) e mostrou insegurança mais uma vez. Léo foi bem na zaga e fez uma jogadaça no segundo gol. Tcheco, recuado, não apareceu muito, mas é sempre o equilíbrio da equipe.

Quarta-feira é outra história. E essa importa bem mais.

Números 2009 - Gauchão:

Jogos oficiais: 9

Vitórias: 6
*Grêmio 5 x 0 Esportivo
*Novo Hamburgo 1 x 5 Grêmio
*Grêmio 2 x 0 Juventude
*Avenida 1 x 2 Grêmio
*Grêmio 3 x 0 Brasil de Pelotas
*Grêmio 2 x 0 Juventude

Empate: 1 (Inter de Santa Maria 1 X 1 Grêmio)

Derrotas: 2
*Veranópolis 3 x 1 Grêmio)
*Grêmio 1 x 2 Inter

Gols
5 do Jonas
4 do Souza
3 do Tcheco
3 do Ruy
3 do Alex Mineiro
1 do Rafael Marques
1 do Herrera
1 do Órteman

Assistências
3 do Souza
3 de Ruy
2 de Alex Mineiro
2 do Jadilson
1 de Fábio Santos
1 do Tcheco
1 de Reinaldo
1 de Herrera
1 do Róberson
1 do Léo

sábado, 21 de fevereiro de 2009

Ensaio

Palpite: Grêmio 3 X 0 Juventude

Começo pelo palpite porque hoje é ensaio para a Libertadores. Se o Grêmio jogar o que espero, tem que meter bucha neste fraco Juventude e não sofrer gol.

Nesta semana o Tricolor largou a lista dos convocados para a Continental. Pela lógica e pela numeração, o time titular jogará no 3-5-2 com:

1)Victor, 2)Ruy, 3)Léo (ele não foi vendido!), 4)Rafa Marques, 5)Réver, 6)Fábio Santos; 11)Adilson, 10)Tcheco, 8)Souza; 7)Jonas e 9)Alex Mineiro

A melhor notícia é do Léo, com certeza. E a pior é que O volante não veio. Outra boa é que Adilson ganhou a vaga de Magrão (eu ainda acho que Orteman devia ocupar este espaço), mas o Roth poderia ter escolhido o Diogo.

Herrera ficou com a camisa número 20 e Maxi com a 16.

Veja (se ainda não viu) a lista completa:
Goleiros - (1) Victor, (12) Marcelo Grohe e (22)Alessandro
Zagueiros - (3) Léo, (5) Réver, (4) Rafael Marques, (15) Willian Thiego, (14) Heverton
Laterais - (2) Ruy, (6) Fábio Santos, (13) Jadílson
Volantes - (11) Adilson, (24) Julio Cesar, (17) Orteman, (21) Diogo, (18) Makelele
Meias - (8) Souza, (10) Tcheco, (25) Maylson, (19) Douglas Costa
Atacantes - (20) Herrera, (16) Maxi López, (7) Jonas, (23) Reinaldo e (9) Alex Mineiro
___________________

Mas o assunto de hoje é de ordem administrativa.

Criou-se um imbróglio entre direção 2009 e torcida Geral.

A Geral já se chamou Alma Castelhana. Surgiu no finalzinho de 2004 (me corrijam se estiver errado), ano da queda para a segundona, e em 2005 estourou.

Explodiu com o nome de Geral porque perdeu a característica de organizada. Para fazer parte da Geral bastava entrar pelo portão 10, se alocar atrás da goleira e cantar antes, durante e depois, sem parar de pular, agitar as camisas, bandeiras, pendurar trapos, inventar cantos.

Não precisava “ser” da Geral. E o mais importante: o objetivo não era brigar com a torcida adversária, ou com as outras organizadas. Era cantar pelo time. Afinal ele precisava.

A Geral fez história e escola, ao menos no Brasil, já que o modelo foi inspirado nas inchas uruguaias e argentinas. Hoje em dia, até a torcida do Brusque Futebol Clube canta sem parar.

Com o fenômeno da Geral, o Olímpico se acostumou a receber mais de 20 mil pessoas por jogo. O Grêmio sempre esteve nas cabeças das listas de maior média de público no estádio nos últimos Brasileirões. Todo mundo fez música, trapo, coreografia.

Isso tudo era por amor ao Grêmio, como cantávamos (eles no estádio e eu alucinado em frente a TV), certo?

Parece que não. Neste início de temporada, o Olímpico tem sido ameno, moribundo, com público em torno de 10 mil. Poucas faixas, nenhum bumbo, cantos tímidos.

Aí leio as notícias e vejo que Odone gastava quase 400 mil Reais anuais com a Geral. Pagava-lhes ônibus, dava-lhes ingressos e outras cositas más.

Kroeff chegou e cancelou a MP. Agora distribui 15 ingressos por organizada (a Geral voltou a ser organizada. Agora tem gente que vai lá só pra brigar, fumar maconha, matar).

Bueno.

Sou contra o subsídio de organizada. Organizada tem que ser como a Geral nos melhores dias. Cantar, incentivar, pular e cobrar ordenadamente quando necessário.

E sou contra dar 15 ingressos por organizada.

Explico. Se é para dar 15, não dê nada. 15 ingressos é piada, é gozar na cara dos torcedores. E não dar nada é ser ingrato. A torcida faz parte do espetáculo. Está lá na chuva, no sol, no frio e no calor. E, ninguém duvida, empurra o time e bota pressão nos adversários.

É preciso achar um meio termo. Bota um ônibus pra levar a galera nos jogos fora de POA. Dá uns 100 ingressos nos jogos em casa. E deixa a salinha deles lá no Olímpico, onde vendem suas faixas e se organizam para as partidas. Fechou. Acabou. Nem mais, nem menos. Zé-fi-ni!

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

E lá se vai a invencibilidade...

E o bom futebol, e os gols, e a vontade... Após nove jogos em 2009, a primeira derrota. Como eu tinha escrito aqui depois do jogo contra o Caxias, "nem sempre" dá pra jogar mal e ganhar. Ou pelo menos empatar, coisa que ontem nem aconteceu.
E pela vontade do time, o resultado foi totalmente justo! O negócio agora é baixar a bola, saber que grande e qualificado elenco nunca ganha jogo antes dele ser realmente JOGADO, saber que é preciso disposição e desejo de vitória em TODOS OS JOGOS. Não fico aqui pedindo apresentações no estilo da Holanda de 74. Me contento com algumas jogadas bem tramadas pelos atacantes e meias, zagueiros e volantes vigorosos, além de um goleiro seguro. Mas numa derrota como a de ontem não há fatores táticos e técnicos a serem avaliados. A disparidade dos times é tanta que uma palavra define a causa do resultado final: APATIA. E isso não pode ser tolerado com apenas UM MÊS de temporada e com os jogadores que temos.
Essa é a hora do treinador chamar a gurizada, colocar cada um no seu lugar e mostrar que sem comprometimento um time não chega a lugar nenhum. Se o Tite não fizer isso agora, antes do Brasileirão teremos novo técnico.

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

17 anos atrás eu tava lá!

6 anos de idade e vi meu time ser campeão no estádio! Um calorzaço de dia, o sol castigando os olhos de quem estava na superior. Quando a noite caiu, frio e vento vindo do Guaíba! Como estava de bermuda e com a minha camiseta oficial, número 8 de Daniel Frasson (ou seria do Elson, ou do Márcio?) presente do meu Dindo Paulo (comprada no Beira-Rio mesmo!), passei muito frio!

Resultado: caxumba! Mas valeu a pena. Eu, meu pai e meu padrinho (os malucos que foram no GRE-NAL do Século...) comemoramos muito, e lembro como se fosse ontem a sensação de alívio quando o Célio Silva acertou aquele petardo no meio do gol, no finalzinho do segundo tempo. Mas comemorei mais ainda aquele gol do Caíco, que vi pela Bandeirantes, lá nas Laranjeiras, driblando quase toda zaga do Fluminense e nos dando a chance de levantar a taça ganhando de só 1x0. E como sempre, meu maior ídolo no Inter de 92 estava embaixo da meta: "El Gato" Fernández, o paraguaio do bigodinho e da elasticidade felina!

Hoje começa a caminhada na Copa do Brasil do centenário, contra o Rondonópolis do Mato Grosso. No primeiro tempo, por enquanto, o Inter joga em ritmo de treino, e o jogo segue 0x0 (como moro em Brusque - SC, estou vendo o jogo aqui http://www.eugeniosvirtual.com/sitenovo/index.phpoption=com_content&task=blogcategory&id=93&Itemid=549)

Alex sentiu e está sendo substituído por Andrezinho. Parabéns ao Tite que está mantando sua idéia de time. Gosto de treinadores teimosos, no bom sentido do termo. Tomara que no segundo tempo o time acorde para pelo menos evitar o jogo de volta. D'alessandro, Taison e Nilmar farão a diferença, e amanhã coloco a análise completa do jogo.

Só uma dúvida: li na Zero Hora de ontem que o Léo, que é da base colorada, e o ARÍLTON, lateral que veio do Coxa, vão passar por um tratamento de crescimento físico com o Élio Carravetta, auxiliar técnico colorado. São QUATRO MESES antes deles voltarem a jogar! O Léo eu até entendo, mas o Arílton não. Aceito sugestões do porque desta atitude da comissão técnica vermelha.

Vamo Vamo Inter, buscar o Bi da Copa do Brasil!

Covardia

A baixa qualidade dos times do interior em 2009 tem sido destacada em diversas conversas e comentários por aí. Agora, falar do Brasil é covardia.

Depois da tragédia de janeiro, os caras vêm jogando dia sim, dia não. Como poderia o Brasil fazer frente ao Grêmio, ou ao Inter, jogando cumprindo esta rotina? Jogou domingo, terça e vai jogar amanhã. Só de citar os últimos seis dias dos xavantes já fiquei com a língua de fora e senti uma lesão no adutor.

Impossível! Como disse Danrlei após o jogo.

Roth aproveitou e testou mais uma vez os reservas. Alguns mostraram potencialidades para atuar no time de cima, caso de Adilson, Herrera, Jonas e Léo, estes dois últimos, titulares, ao menos por enquanto.

Só que com a lesão de Magrão, abre-se uma das vagas de volante. Não tenho confiança em Diogo (sempre pensando na Libetadores). E acho que Adilson é bom, mas é inexperiente para carregar o fardo da Continental solito.

Aí sugiro: que tal Órteman na primeira função?

Não pela atuação de ontem, que foi média outra vez. Mas por sua experiência, por sua qualidade no passe (que vai aparecer se tiver sequência), por ter cancha de Libertadores. Aí sim, num 4-4-2, Adilson poderia ser o homem da 2a. função. Jogaria entre três caras que poderiam lhe passar tranquilidade: Souza, Tcheco e Órteman.

É uma coisa a se pensar. E é o que resta do jogo de ontem, além da atuação apagada de Douglas Costa e da galera gritando o nome de Danrlei.

A propósito: não seria Danrlei um baita reserva para Victor?



Números de 2009:

Jogos oficiais: 8

Vitórias: 5
*Grêmio 5 x 0 Esportivo
*Novo Hamburgo 1 x 5 Grêmio
*Grêmio 2 x 0 Juventude
*Avenida 1 x 2 Grêmio
*Grêmio 3 x 0 Brasil de Pelotas

Empate: 1 (Inter de Santa Maria 1 X 1 Grêmio)

Derrotas: 2
*Veranópolis 3 x 1 Grêmio)
*Grêmio 1 x 2 Inter

Gols
5 do Jonas
4 do Souza
3 do Tcheco
3 do Ruy
1 do Alex Mineiro
1 do Rafael Marques
1 do Herrera
1 do Órteman

Assistências
3 do Souza
2 de Ruy
2 de Alex Mineiro
2 do Jadilson
1 de Fábio Santos
1 do Tcheco
1 de Reinaldo
1 de Herrera
1 do Róberson

terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

Compare

Nosso leitor mais assíduo, o colorado Gonçalvez, disse que o time do Grêmio que jogou a Libertadores 2007 era melhor do que este de 2009.

Só que eu "disconcordo". Acho que, principalmente pelo elenco, o Grêmio 2009 é mais time do que o de 2007, apesar daquele grupo ter William, Lucas, Diego Souza e Carlos Eduardo, todos que teriam vaga garantida no time deste ano.

Segue abaixo os dois times titulares pra que tu mesmo faças a comparação.

Goleiro 07: Saja - opção: Marcelo Ghroe
Goleiro 09: Victor - opção: Marcelo Ghroe

Zaga 07: William e Teco - opções: Maidana e Schiavi
Zaga 09: Réver, Léo(?) e Rafael Marques - opções: Fábio Ferreira, Thiego e Héverton

Lateral-direira 07: Patrício
Lateral-direita 09: Ruy

Lateral-esquerda 07: Lúcio
Lateral-esquerda 09: Fábio Santos - opção: Jadilson

Volantes 07: Sandro e Lucas/Gavilán - opções: Rudnei, Nunes, Edmilson
Volantes 09: Diogo e Adilson - opções: Orteman e Maylson

Meias 07: Tcheco e Diego Souza
Meias 09: Tcheco e Souza - opções: Douglas Costa, Maylson, Orteman

Atacantes 07: Tuta e Carlos Eduardo - opções: Ramón, Éverton e Amoroso
Atacantes 09: Alex Mineiro e mais um - opções: Jonas, Herrera, Maxi, Perea, Reinaldo

Daí, qual é melhor?
Temos que considerar que com a lesão do William Magrão, estamos sem um volante plenamente confiável. Temos que contratar um experiente. O mesmo serve para a zaga. Apesar de ótima fase de Réver e as boas atuações do Rafa Marques, um xerifão viria bem.

Só que do meio pra frente, principalmente no ataque, não se compara 2007 com 2009.
____________

Passado isso, hoje temos Grêmio X Brasil de Pelotas no Olímpico. Mais um jogo de reservas. Apenas com Léo, Victor e Herrera dos titulares em campo - pelo menos é o que tão dizendo na imprensa "mal-falada, mal-escrita, mal-fotografada e mal-televisionada", como diria nosso amigo delegado dos jogos aqui de Brusque, sr. Ivo Popper.

Veremos no que vai dar.

Tem também o Danrlei jogando. Contra, eu sei, mas é sempre um atrativo pra incha gremista.

Palpite: Grêmio 2 x 0 Brasil

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

20 anos do GRE-NAL do Século

Dia 12 de fevereiro um dos maiores clássicos de todos os tempos, envolvendo Inter e Grêmio, completou duas décadas. Para falar deste jogo histórico num Beira-Rio lotado, time de um Abel predestinado, um cara que viu muitos jogos que pareciam impossíveis de serem vencidos, como este. Lá vai!

A melhor vitória
Por Jeferson Conti

Ia sempre aos jogos do Inter com o marido da prima da minha esposa (e padrinho do meu filho), o Paulo, nesta época não tinha muita grana e íamos de ônibus ou então ele ajudava na gasolina, era bem perto porque morávamos em Canoas, quase na divisa com Porto Alegre.

Lembro bem deste GRE-NAL. Almocei bem cedo (11:00) e passei na casa do Paulo e fomos. Sabíamos que ia lotar e como o jogo era de tarde no verão, o sol estaria direto na Geral, lugar que normalmente ficávamos por ser mais barato. Já fui em todos os lugares do Beira-rio , inclusive na Coréia quando tinha, e decidimos pela Superior, a torcida deles ficaria na goleira do Gigantinho, e nós fomos pro lado do relógio.

Quem conheceu o placar eletrônico sabe que durante muito tempo ele serviu apenas como relógio, e aproveitamos a sombra e ficamos por ali porque no meio da superior também tem cobertura, mas o sol bate até umas 18:00. Logo começou a chegar o povo e bem antes do jogo começar tava tudo lotado. Lembro bem do gol do Grêmio, o Taffa saiu e o centroavante tocou no lado. E também quando o Casemiro acertou bem no meio um jogador que estava escapando num contra-ataque e jogou ele depois da pista atlética do lado contrário às cabines de rádio e acabou expulso.

Eles tinham um a mais em campo. Meu compadre Paulo elogiou bastante o Casemiro e achava que tinha que bater mais, mas depois veio o intervalo e ficamos só comentando que se empatássemos já tava bem bom. Começou então o segundo tempo e nós víamos o Abel que nem um louco na beiro do campo. Quem mais eu lembro deste time é do Luiz Carlos Winck, que jogava muito e era muito raçudo (um Guiñazú dos anos 80), num lance ele caiu e enfaixou o braço, teve uma falta pro Inter e ele bateu no travessão, acho que ainda tava um a zero e o Inter em cima.

O Norberto – centromédio - também jogava muito e o Taffarel (que uma vez um cara da Globo numa transmissão falou que era nome de remédio) era o cara. Acho também, não tenho certeza, que o Abel tirou alguém do meio e botou outro atacante, o Edu Lima, e nós achando que ele estava louco. Aí aconteceu o seguinte: nos anos 80 fui a quase todos os jogos do Inter e num desses jogos era época de escolha do Papa. O Inter também não tinha centroavante e então nós compramos o Geraldão. No Beiro Rio tinha a churrascaria Saci e começou a sair fumaça na chaminé ali do lado e um cara da galera falou a pérola “Habemos centroavante”.

Pois no GRE-NAL do século nós tínhamos centroavante, e um baita centroavante, o Nilson. O Maurício foi pra cima e mandou pro matador duas vezes e nós viramos a partida. Nunca gritei e pulei tanto numa partida, só fiz festa assim em 79 na final com o Vasco e em 2006 contra o São Paulo, mas contra o Grêmio foi melhor. Na volta peguei meu Chevette e voltamos pela Farrapos para passar buzinando e fazendo festa sempre que alguém acenava ou tinha uma bandeira.


Treino leve

Tu és o treinador. Aí teu time jogou ontem e só vai participar de uma partida oficial novamente daqui a sete dias.
Não há outra alternativa senão dar um treino leve nesta segunda-feira para ninguém chiar que o trabalho tá puxado demais.



O Grêmio antecipou-se e fez o treino no próprio jogo de ontem, contra o Avenida. Tá certo, tem o Brasil amanhã, pela rodada atrasada deste primeiro turno de Gauchão. Mas, vencer o Brasil no Olímpico ou não, é o que menos importa a 10 dias da estreia na Continental. Se vencer, o Tricolor será primeiro do grupo e pegará o Juventude nas quartas. Se empatar ou perder, além da moral e da invencibilidade em casa, que o Imortal perderia, a consequência é pegar o Nóia nas quartas.

No jogo de ontem, o Avenida, coitado, nem cócega fez. Fez um gol sim, mas como eu disse era treininho, o Grêmio andava em campo depois dos dois a zero e a desatenção no lance foi normal. O professor vai dar aquela mijada, e tudo vai seguir seu rumo.

Léo não entrou em campo (deve mesmo estar vendido) e o 4-4-2(!!!) foi o esquema. Réver jogou e afirma-se como o homem da zaga em 2009.

Só que bruxa tava solta e William Magrão se machucou feio aos 5 minutos de jogo. Tcheco torceu o tornozelo aos 10 e qualquer ideia tática de Roth teve que ser alterada. Adilson foi muito bem, outra vez. Maylson entrou na do Magrão e não comprometeu. Souza foi bem, mas parecia meio interessado em ir pra casa, assim como outros.

Menos Jonas. O preterido atacante fez dois e mais uma jogada que, bem, não saberia descrever. Merece, no mínimo, ter as mesmas chances que os outros “bem cotados” titulares terão.

Se o 3-6-1 funcinou, o 4-4-2 também. Fica a dúvida sobre qual será o esquema na estreia da Libertadores.

Números de 2009:

Jogos oficiais: 7
Vitórias: 4
*Grêmio 5 x 0 Esportivo
*Novo Hamburgo 1 x 5 Grêmio
*Grêmio 2 x 0 Juventude
*Avenida 1 x 2 Grêmio

Empate: 1 (Inter de Santa Maria 1 X 1 Grêmio)

Derrotas: 2
*Veranópolis 3 x 1 Grêmio)
*Grêmio 1 x 2 Inter

Gols
5 do Jonas
4 do Souza
3 do Tcheco
3 do Ruy
1 do Alex Mineiro
1 do Rafael Marques

Assistências
3 do Souza
2 de Ruy
2 de Alex Mineiro
1 de Fábio Santos
1 do Tcheco
1 de Reinaldo
1 de Herrera
_________

Agora, conheça mais sobre o Boyacá Chicó Fútbol Club, da Colômbia, nosso segundo adversário na Continental.
Nome completo: Boyacá Chicó Fútbol Club
Site oficial: http://www.chicofc.com/
Sede: Tunja, na Colômbia
Fundação: 26 de março de 2002
Estádio: La Independencia

Títulos:
Campeonato Colombiano da Segunda Divisão: 2003
Campeonato Colombiano: 2008(Apertura)

Libertadores: No ano passado, o Boyacá estreiou na fase da Pré-Libertadores. Em 2009, o time colombiano faz a sua estreia na fase de grupos da Libertadores.

Time titular: Velásquez; Pedro Pino Moreno, Galicia, Mario Garcia e Ormedis Madera; Leonardo Lopez, Juan Mahecha, Edwin Móvil e Anthony Tápia; Raul Asprilla e Juan Nuñez.

Técnico: Alberto Miguel Gamero (COL).

Destaque: Meia Edwin Movil, de 22 anos, com passagens pela seleção sub-20 da Colômbia.

domingo, 15 de fevereiro de 2009

Nem sempre...

Vou dar uma de "corneteiro da social" hoje. Talvez seja pelo meu estado de saúde sofrível que eu fico pegando no pé depois de um 5 x 1 (aí Gonçalves, acertou o saldo de 4 gols!), mas vamos lá.

O segundo tempo foi sensacional mesmo! Taison, Alex, Nilmar, Kléber e Giuliano (entrou no lugar do Andrezinho, que hoje foi muito melhor que contra o Ypiranga) fizeram tabelas e triangulações de encher os olhos. Dá esperança de ver durante o ano jogadas ainda mais trabalhadas que essas da tarde de domingo contra o Caxias no Gigante. Caxias que jogou um belo primeiro tempo.
Marcou bem, anulou o Alex pela direita e saiu rápido pelos espaços deixados no meio (Magrão e Guina precisam de proteção mais efetiva com o losango ofensivo!). Fez 1x0 jogando melhor. Aí deu aquela encolhida natural de quem joga na casa do adversário e sofreu as consequências. A partir da pressão Colorada nasceu o gol do Magrão - acho que a bola não entrou completamente - e o golaço do Taison no finalzinho do primeiro tempo. Aliás, Magrão foi considerado o "Craque Grenalzito" do jogo!

Aí logo no primeiro minuto do segundo tempo, lançamento primoroso do Kléber (Marcão vai para o Palmeiras, boa sorte pra ele) e gol do Alex! Ele guardaria o 5º e FINALMENTE deixa a sombra das rusgas de janelas e vendas pra trás! Taison fez o quarto gol num (de novo) baita passe do Nilmar, e ainda teve o Giuliano entrando muito bem, Alecsandro mostrando que entrou em forma (só precisa de ritmo) e a volta de Sandro pro meio no finalzinho do jogo. Mas...

O time entrou achando que a qualquer minuto mataria o jogo. E foi o que aconteceu realmente, mas nem todo jogo é assim. Tem que entrar rasgando e mordendo SEMPRE, principalmente agora na fase de mata-mata no Gauchão e nas primeiras fases da Copa do Brasil (começa na quarta!). Até porque pela qualidade do elenco montado pela direção, a única coisa que precisa ter todo jogo é GARRA, RAÇA e VONTADE. Porque bola tem de sobra no Inter 2009!

Números Colorados no ano:
8 Jogos ---> 2 Empates (Inter 0 x 0 Santa Cruz; Ypiranga 0 x 0 Inter) 6 Vitórias (São José 1 x 3 Inter; São Luiz 0 x 1 Inter; Inter 4 x 0 Sapucaiense; Inter 4 x 1 Ulbra; Grêmio 1 x 2 Inter; Inter 5 x 1 Caxias).

Gols ---> 7 Taison; 3 Alex; 3 Nilmar; 2 Andrezinho; 1 D'alessandro; 1 Marcelo Cordeiro; 1 Talles Cunha; 1 Magrão.

Assistências ---> 3 Nilmar; 3 Marcelo Cordeiro; 2 Kléber; 1 Taison; 1 Magrão; 1 D'alessandro; 1 Talles Cunha; 1 Andrezinho; 1 Alex.

Inacreditável

Daqui a pouco tem Grêmio contra Avenida, lá em Santa Cruz do Sul. E, quem diria, é um jogo importantíssimo para o Tricolor. Vencer é primordial para que o campeonato não se defina nas quartas-de-final, com o GRE-NAL antecipado.

Roth deve ir de 3-5-2 desta vez, com Jonas e Mineiro na frente. Talvez aconteça a estreia de Fábio Ferreira, já que Réver é dúvida, com dores. Pode, ainda, pintar um 4-4-2. Quem sabe? Ou, o preferido 3-6-1. O Roth faz mistério para jogar com o Avenida.

No último encontro entre os dois times lá em Santa Cruz, em 1999, Ronaldinho ainda era franzino e honrava a camisa tricolor, mas não foi suficiente para evitar a derrota do Grêmio no Estádio dos Eucaliptos por 1 a 0. Seu Celso era o treinador do Grêmio na fatídica data.

Palpite para o jogo de hoje: Grêmio 4 x 0 Avenida
________

Notícia do dia:

Léo provavelmente já está vendido, podendo hoje ser seu último jogo com o manto. Dizem que já tem um substituto no gatilho. Seria bom que viesse um zagueiro experiente.

O valor da venda parece que foi de 4 milhões de Euros. Bom preço, mas o Grêmio já deixou de vendê-lo pelo dobro e, se comparado com a venda de Breno pelo São Paulo (18 milhões), é uma merrequinha.

sábado, 14 de fevereiro de 2009

Resta 1

Maxi sinaliza como deverá ser o ataque gremista

Os dias de 3-6-1 estão contados. Com a chegada de Maximiliano Gastón López, 24 años, Seu Celso terá que engolir dois atacantes na comissão de frente do seu time.

Duvido que a direção vá gastar cerca de meio milhão em atacantes e deixar que apenas um jogue. Herrera, Maxi, Alex Mineiro, Jonas, Perea e Reinaldo formam o melhor elenco de ataque dos últimos 10 anos no Olímpico.

Os mais agorentos estão dizendo que Maxi nunca deu certo na Europa, que só jogou na Argentina e que o Grêmio errou em contratá-lo. Eu prefiro olhar para o rival e ver a mesma história, a de D'Alessandro. O agora colorado fez o mesmo. Estourou na Argentina, pegou seleção e vagou por times europeus, sempre tentando achar seu melhor futebol. Foi encontrá-lo no Brasil.

Que com Maxi a história se repita, no Grêmio, óbvio.

Bien venido, compañero!

___________

O Felipe pediu: "Posta aí qual time tu acha que DEVERIA entrar em campo na Libertadores"....

Acho que o melhor esquema seria o 4-4-2, a começar por aí. Só que eu teria treinado o time pra isso durante o Gauchão.

Assim, lembrando que se trata apenas da rodada de estreia, escalaria Victor, Ruy, Léo, Réver, Fábio Santos; Diogo, William Magrão, Tcheco e Souza; Herrera e Alex Mineiro.

Essa é a teoria mais improvável. Como Seu Celso não abrirá mão dos três zagueiros, escalo outro time:

Victor, Ruy, Léo, Réver, Rafa Marques, Jadílson; William Magrão, Tcheco, Souza; Herrera e Alex Mineiro.

Ainda não sei quem é melhor entre Jadílson e Fábio Santos, por isso coloquei um em cada time. Acho que no esquema de três zagueiros o Jadílson funciona melhor, já que é mais agudo no ataque.

Jonas também mereceria uma chance, mas a alma castelhana do Pibe pesa na Continental.

É isso!

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

Inter x Caxias (em 2008)


Semifinal do Gauchão passado, dois golaços desse "tal de Alex". O mesmo cara que disparou um balaço em outra semifinal, contra o Libertad do Paraguai (do qual contratamos um "tal de Guina") e mostrou pra todo mundo que naquele ano a Terra seria vermelha, invariavelmente! O vídeo é pra dar uma esquentada pro jogo de domingo, além de lembrar um pouco do Capitão Planteta, Fernandão!

Alex Raphael - 26 anos, 5 anos de clube, 166 jogos e 55 gols

Ps.: Em breve um texto especial falando sobre os 20 anos de uma batalha épica: O GRE-NAL DO SÉCULO! Escrito por um cara que estava naquela tarde de Beira-Rio mais que lotado e vitória mais que espetacular!

Normal

Escrevo depois de ter ouvido, lido e assistido algumas coisas sobre Grêmio e Juventude. Parece que o Ju mais uma vez tem bom goleiro, assim como é Michel Alves, agora do Inter.

E do Grêmio, sabe-se que no 3-6-1 o time chega um monte de vezes, mas só faz gol quando está com uma dupla de ataque em campo.

Mas como este papo de 3-6-1 já está enjoando e Seu Celso perdeu o volante tanque Diogo, parece que ele vai de 3-5-2, com Jonas e Alex Mineiro na próxima partida.

Herrera, depois do intervalo, mostrou a mesma raça de sempre e tabelou com Souza para o segungo gol tricolor (errei o placar, mas acertei o saldo!).

Foi interessante também ver as tabelas nos gols. Há tempos o Grêmio não fazia isso.

A honra está recuperada. O Olímpico, pelo menos, segue invícto e a Libertadores se aproxima. Faltam 12 dias!

Se você viu mais do que eu, diga aí. Queque tu achou, índio véio?

Assista alguns lances:


Números de 2009:
Jogos oficiais: 6

Vitórias: 3
*Grêmio 5 x 0 Esportivo
*Novo Hamburgo 1 x 5 Grêmio
*Grêmio 2 x 0 Juventude

Empate: 1 (Inter de Santa Maria 1 X 1 Grêmio)

Derrotas: 2
*Veranópolis 3 x 1 Grêmio)
*Grêmio 1 x 2 Inter

Gols
4 do Souza
3 do Tcheco
3 do Jonas
3 do Ruy
1 do Alex Mineiro
1 do Rafael Marques

Assistências
3 do Souza
2 de Ruy
1 de Fábio Santos
1 de Alex Mineiro
1 do Tcheco
1 de Reinaldo
1 de Herrera

Experimentações

Mais um empate sem gols, desta vez fora de casa. O time do Ypiranga veio muito bem montado, sem montar o famoso esquema 1-10-0! Conseguiram jogar e deixar jogar, assim como o time misto do Inter. Bom teste para Tite acompanhar a movimentação dos suplentes, alguns bem - Kléber, Danny, Cordeiro, Walter, Arílton - outros nem tanto - Maycon, Glaydson. O esquema tático não foi muito alterado, mas a movimentação dos volantes, laterais e meias foi modificada. Coberturas e ultrapassagens testadas, e isso já é alguma coisa.
Alex continua titularíssimo, e Taison é o melhor jogador do ano até agora. Já que o "Seu Adenor", como gosta de dizer o Mau, ganha bastante por mês, deixemos ele com essa pulga atrás da orelha: como montar um esquema defensivo sólido para dar suporte a este ataque mais do que promissor? Durante as próximas semanas vamos ajudar o professor "Titcher" (essa foi RBS!) a pensar maneiras diferentes das utilizadas até agora.

Mais um palpite errado! Pensarei bem antes de chutar um placar pro jogo contra o Caxias, domingo no Gigante (e logo após o jogo atualizo os números da temporada). D'alessandro deverá ser poupado para o jogo de estréia na Copa do Brasil. Tomara que a lesão não seja preocupante, o Maestro precisa de ritmo de jogo! E este ataque com o losango-quarteto precisa ter uma mecânica de jogo, que só se adquire jogando!

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

Matriz X Filial


Muitos dirão que o título aí de cima é verdadeiramente real. Mas na última vez que a filial verde enfrentou a matriz tricolor, tocou 3 no Olímpico e ficou com a vaga na final do Gauchão de 2008.

Como naquele dia, ninguém imagina que o Grêmio possa perder para o Juventude nesta noite. A grande diferença de 2008 para 2009 é que hoje Seu Celso não tem Nunes e Rudnei para escalar.

Por isso, eu engrosso o coro: Grêmio 3 a 1 com um detalhe ousado: eles saem na frente.

Problema é que Seu Celso continua com a convicção do 3-6-1 que, repito, pode até dar certo contra o Juventude, mas é ruim para jogos contra boas equipes.

A novidade fica por conta da possível estreia do Pibe Herrera no segundo tempo. Mas, pra entrada do Pibe, Seu Celso vai tirar o Alex Mineiro ou vai colocar dois atacantes? Ou, ainda, vai preterir Jonas, que vinha sendo boa opção?

Bom mesmo, é o Tricolor vencer a parada. Se perder, pode ficar fora das finais do primeiro turno, o que é inadmissível.

_______

Outra pergunta básica: Maxi López chega hoje?

Mais uma: Alex Mineiro conseguirá fazer gol jogando solito?

Respostas que só saberei depois do jogo. Não poderei assistir ao confronto. Estarei trabalhando.

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Enfim Futebol!

Daqui a pouco o Diego chama ele...

Data FIFA! Muitas vezes essa frase assombra os torcedores (principalmente os europeus), mas que saudade dos amistosos pegados!

França e Argentina duelaram em Marselha, jogaço! Primeiro tempo dominado pelos Gauleses, que assinaram embaixo do tratado mundial do futebol chamado "quem não faz leva". Um tal de Gutierrez, do Newcastle, fez 1xo. Baita jogador de meio, forte e apoiador. No segundo tempo a seleção de El Pibe D'oro Dieguito jogou só no contra veneno, e aí é covardia pra quem tem avantes como Kun Aguero, Carlitos Tevez e La Pulga Messi. 2xo pra cima da França com Benzema, Henry, Ribery, Anelka, etc... E isso que o Cabezón D'alessandro não teve chance com o Maradona ainda...

Neste momento a Espanha, jogando em casa, passeia pra cima da Inglaterra, 2x0 gols do David Villa (companheiro do goleiro Colorado Renan no Valencia) e do reserva Fernando Llorente. Xavi Hernandez, El Niño Torres, Xabi Alonso... Coisa fraca. E o Capello não dá jeito na burocracia britânica! Parece que no final do jogo Beckham e cia. vão bater o cartão e apagar a luz do escritório! Ridículo. Só se salva o Wright-Philips, o Robinho inglês!

Mas jogo gaudério entre seleções tá sendo Georgia e Irlanda, em Dublin, pelas eliminatórias européias! Kaladze e um bando de brucutus (como se os irlandeses fossem habilidosos...) fizeram 1x0 a um minuto de jogo e estão dando balão pra todos os lados! Damien Duff e Rob Keane correm como protestantes em festa católica mas de nada adianta! Só eu pra ficar olhando um jogo desse e achando sensacional ainda por cima! Giuseppe Trappatone é o técnico da seleção irlandesa... Aí imagina! Acabaram de empatar com um gol roubado de pênalti, Keane como sempre! E viraram numa cabeçada do... ROB KEANE!

Mas tudo isso é aperitivo pro jogo de Erechim entre os atuais líderes do Gauchão 09: Inter, que lidera sua chave com 16 pontos, e Ypiringa, líder com 12 da outra chave. Mais uma chance pro "time misto" colorado:
Kléber na lateral, Cordeiro e Andrezinho na armação, Alex (titular ou não?) e Taison (mesma pergunta) no ataque, Danny na zaga, Danilo na outra lateral, e os volantes Maycon e Glaydson. Nosso maestro D'ale sentiu dores no joelho e será poupado, acho que muito acertadamente. Mesmo se aplica para Nilmar, poupado para não "estourar" os músculos logo no início da temporada, além de proporcionar oportunidades para todos do elenco. Hoje estão relacionados os três destaques (ao lado do gremista Douglas Costa) do sulamericano sub-20: Giuliano, Sandro e Walter. Tomara que entrem no decorrer da partida.
Palpite para o jogo de logo mais: 3x1 (com gol do Alex!)

Fazer mais

Que tal a nova diretoria gremista?

Chegou fazendo limpa na administração, empilhando vice-presidentes de confiança e deixando de lado outros que, se não são um primor de pessoa, pelo menos haviam iniciado coisas boas.

Eu gostei do fato da oposição ter vencido. Odone, mesmo que tenha conquistados boas coisas (recolocou o Grêmio no topo do futebol nacional depois da segundona), devia sair, dar lugar para outras idéias simplesmente pelo fato da “renovação”.

Só que, primeiro Duda Kroeff mandou embora o Rodrigo Caetano, homem que fazia grande trabalho nas categorias de base e também cuidava do departamento de futebol junto de André Krieger. Kroeff trouxe Mauro Galvão e este não teve tempo suficiente para provar se justifica o alto salário. Mas pode ser bom.

Kroeff também trouxe Alex Mineiro, Herrera e Jadilson (as duas últimas já com Galvão no cargo): boas contratações. Manteve, ajudado ou não pela tal crise, Tcheco, Souza, Léo, Réver e Victor. Perdeu Mattione e Rafael Carioca. Manteve Seu Celso. Balanceando, estava com crédito.


Mas, começou a perder moral com esta história de poupar jogadores e a palhaçada de disputar o Gauchão com time júnior. Fazer isso é não honrar os pampas, é se omitir, é desprezar a história do próprio clube. Além do mais, é entregar mais um Gauchão para os colorados. Lembram das estatísticas? Se não, elas serão lembradas no futuro por alguém.

Quase ao mesmo tempo, sai a notícia de que o ex-presidente Odone pedira desligamento da diretoria da Grêmio Empreendimentos, a qual ele idealizara junto de seus sub-chefes de confiança para tocar a construção da Arena. Odone merecia a presidência da GE, mas ela já havia sido delegada por Kroeff a Adalberto Preis. Odone não merecia, por interesses próprios, ficar de fora da construção da Arena.

Tudo isso faz parecer que Kroeff quer se promover e promover seus comparsas nas paletas do Imortal. Não que Odone não tenha feito algo parecido. Não sei, posso estar sendo ingênuo demais, mas parece ter trabalhado para o Grêmio sempre. Pode até ser que ele tenha sido daqueles “rouba, mas faz” que têm por aí. Pode ser, mas fez.

Duda precisa trabalhar mais e gargantear menos. Que trate de trazer Maxi Lopez de uma vez por todas e Renato para dar uma ajuda na meia-cancha. E que bote o time pra jogar. Os caras nem pegaram no pesado ainda e já estão ganhando folga.

Obino, o pior presidente da história tricolor (2003, 2004), chegou a fazer discursos parecidos, ameaçando o Gauchão e coisas mais. Ficou marcado por enaltecer o site e o ônibus do Grêmio no ano em que o time caiu para a Série B.

Que Kroeff tenha outro rumo.
_________

Enquanto isso, no meio da coca boliviana, o Boyacá Chicó/Colômbia (nem eu posso com esse nome!) meteu três no Aurora/Bolívia pela abertura do Grupo 7 da Libertadores, aquele que vocês estão exaustos de saber que é o do Grêmio.

Dizem os analistas que o clube colombiano jogo muito pelas pontas e tem no chute de fora da área sua principal arma. O grande nome do jogo foi Antony Tapia, que marcou os dois primeiros gols da equipe colombiana. Adivinha como? Chutes de fora da área. O outro foi de Juan Mahecha.

Veremos, o Grêmio estréia daqui a duas semanas, contra o Universidad do Chile, no Olímpico Monumental.

terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

Quem tem o melhor ataque do país?

Esta é a pergunta que estampa a capa da edição 1327 da Revista Placar (www.placar.com.br), de fevereiro. Não consegui ler a publicação da Abril ainda da maneira que gosto e que ela merece. Me obriguei a pular diretamente para página 62 e ver qual time possui a dupla de avantes mais mortais da pátria de chuteiras.

Para determinar qual ataque é melhor no momento e pode fazer a diferença em 2009 os editores utilizaram 10 critérios, cada um valendo 10 pontos. Gols em 2008, encaixe da dupla, assiduidade em campo, velocidade, bola aérea, marcação, empatia com a torcida, peças de reposição, bola parada e poder de decisão.
Dos cem pontos disponíveis Alex e Nilmar atingiram 81 e ficaram com o primeiro posto. A dupla marcou nada menos que 53 gols (21 de Nilmar e 32 de Alex). Em segundo e terceiro, empatados, Palmeiras e São Paulo, 77 pontos. O Grêmio ocupa a quarta posição com 76 pontos.

Os três ataques que ficaram abaixo do Inter na lista da Placar marcaram mais gols em 2008 - 58 de Keirrison e Marquinhos, 63 de Washington e Borges, 54 de Perea e Alex Mineiro. As diferenças que colocaram a artilharia ofensiva Colorada na frente são apenas duas, mas que são primordiais:

ENTROSAMENTO - D'ale municia a dupla de atacantes com maestria e em 2009 receberá a ajuda cada vez mais efetiva do piá Taison.

MANUTENÇÃO - Dos 15 ataques listados, só o Colorado é exatamente O MESMO de 2008! Segurar atletas tão cobiçados e importantes no cenário nacional com certeza renderá frutos no ano do centenário!


Ranking completo:
1º Inter - 81 pontos (Alex e Nilmar)
2º Palmeiras - 77 pontos (Marquinhos e Keirrison)
3º São Paulo - 77 pontos (Borges e Washington)
4º Grêmio - 76 pontos (Alex Mineiro e Perea)
5º Cruzeiro - 73 pontos (Thiago Ribeiro e Wellington Paulista)
6º Santos - 72 pontos (Kléber Pereira e Roni)
7º Fluminense - 71 pontos (Leandro Amaral e Roger)
8º Corinthians - 69 pontos (Dentinho e Ronaldo)
9º Flamengo - 69 pontos (Éverton e Obina)
10º Atlético-MG - 67 pontos (Éder Luís e Diego Tardelli)
11º Atlético-PR - 66 pontos (Marcinho e Rafael Moura)
12º Botafogo - 66 pontos (Reinaldo e Victor Simões)
13º Coritiba - 66 pontos (Ariel e Marcos Aurélio)
14º Sport - 65 pontos (Fumagali e Guto)
15º Vasco - 60 pontos (Carlos Alberto e Pimpão)

Pergunta: Quantos destes ataques permanecerão iguais até junho deste ano?

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

Derrota

Uma ova àqueles que dizem que o GRE-NAL foi um treino de luxo para a Libertadores. Uma ova!
GRE-NAL perdido é sinônimo de corneta por uma semana, um mês, um século. GRE-NAL perdido é estatística que vira a favor deles. Já são 31 a mais que eles têm. O Grêmio não podia ter deixado isso acontecer, não podia. Larga vantagem assim, levaremos anos para revertê-la. E isso importa. E muito!

Bom mesmo do GRE-NAL passado é que o Grêmio jogou mais bola. Foi amplamente superior na etapa inicial. Chegou com perigo e chance clara de gol em 10 oportunidades. O Inter chegou em 7. E o Grêmio teve um gol mal anulado quando o jogo estava 1 a 1. Além duma bola na trave. Sem falar que deu muito mais pau e mostrou que continua galo véio.

Sei: Nada disso muda os três pontos e a corneta de lado, mas mostra quem foi superior. Reveja nos melhores momentos do PFC.



Serviu também pra mostrar pro Seu Celso que o 3-6-1 é "chama derrota" e que precisamos de um meia com velocidade. Nosso contra-ataque é em câmera lenta, ainda mais se comparado com o do Inter.

Dá pra concluir também que escala de arbitragem é burra, no mínimo. Pra que botar o Simon outra vez? Até quando ele vai apitar e complicar GRE-NAL? Todo árbitro erra, mas algumas vezes eles mudam de lado.

No más, o time está bem. Pena que o adversário não era parâmetro para a Libertadores. Afinal, eles estão fora.

_____

Falando nela, semana passada, quando o assunto era e só podia ser GRE-NAL, a Universidad do Chile classificou-se para a Libertadores e completou o grupo do Tricolor.

Aí estão alguns dados da equipe, tirados do site do Grêmio, que eles tiraram de outro lugar, que tirou de outro, que pediu pra alguém etc. É o jornalismo.

Nome completo: Club de Fútbol Universidad de Chile
Site oficial: www.udechile.cl
Sede: Santiago, no Chile
Fundação: 24 de maio de 1927
Rivais: Universidad Católica e Colo-Colo
Estádio: Estádio Nacional de Santiago.

O Universidad possui a segunda maior torcida do Chile.

Títulos:
Campeonato Chileno: 12 vezes (1940, 1959, 1962, 1964, 1965, 1967, 1969, 1994, 1995, 1999, 2000 e 2004-Apertura)
Copa Chile: 3 vezes (1979, 1998 e 2000);
Primeira Divisão B: 1989;
Metropolitano Amador: 1934;
Série B: 2 vezes (1936 e 1937);

Libertadores:
Em 2009 será a 15ª participação do Universidad na Libertadores. A equipe nunca conquistou o título da competição mais importante das Américas.

Time titular:
Miguel Pinto, Marcelo Diaz, Juan Gonzáles, Rafael Olarra, José Rojas, Manoel Iturra, Marco Estrada, Maurício Arias, Hugo Notario, Manuel Villalobos e Juan Manoel.

Destaque: Marco Estrada: É titular da seleção chilena. É canhoto, tem um bom arremate e bom passe.

Técnico: Sergio Markarián(Uruguai)

____

Ah, os números de 2009

Jogos oficiais: 5

Vitórias: 2
*Grêmio 5 x 0 Esportivo
*Novo Hamburgo 1 x 5 Grêmio

Empate: 1 (Inter de Santa Maria 1 X 1 Grêmio)

Derrotas: 2
*Veranópolis 3 x 1 Grêmio)
*Grêmio 1 x 2 Inter

Gols
3 do Souza
3 do Tcheco
3 do Jonas
2 do Ruy
1 do Alex Mineiro
1 do Rafael Marques

Assistências
2 do Souza
2 de Ruy
1 de Fábio Santos
1 de Alex Mineiro
1 do Tcheco
1 de Reinaldo

Clássico em Números

2 gols de D'alessandro e Nilmar nos últimos dois GRE-NAIS, mostrando que talento faz a diferença (e não um mar de volantes e zagueiros);

5 clássicos invicto (2 vitórias e 3 empates, incluindo a classificação na Sulamericana);

Em 100 anos de GRE-NAL (374 jogos), são 117 empates, 108 vitórias do Grêmio e 139 do INTER!

A velocidade da luz é de aproximadamente 300 000 000 m/s, mais ou menos a mesma velocidade do contra golpe da dupla Taison e Nilmar, que liquidou o GRE-NAL de Erechim.

6 jogos ---> 1 empate (Inter 0 x 0 Santa Cruz) 5 vitórias (São José 1 x 3 Inter; São Luiz 0 x 1 Inter; Inter 4 x 0 Sapucaiense; Inter 4 x 1 Ulbra; Grêmio 1 x 2 Inter)

Gols ---> 5 Taison; 3 Nilmar; 2 Andrezinho; 1 D'alessandro; 1 Alex; 1 Marcelo Cordeiro; 1 Talles Cunha

Assistências ---> 3 Marcelo Cordeiro; 1 Taison; 1 Magrão; 1 D'alessandro; 1 Kléber; 1 Talles Cunha


2009 começa como 2008 terminou: Mostrando quem manda no RS!

domingo, 8 de fevereiro de 2009

GRE-NAL 374


Acho, ao contrário do Felipe, que este GRE-NAL não tem favorito. Desde 2002, antes do Tricolor passar por segundona e tudo mais, não havia um clássico assim, sem que o Inter fosse franco favorito.

No papel, os colorados ainda têm melhor time. Mas, "o papel aceita tudo", já dizia um grande filósofo qualquer.

O negócio é hoje, às 19h30. A camisa da foto faz referência a André Catimba que, em 77, depois do octacampeonato gaúcho dos vermelhos, tomou de volta a taça do Rio Grande. E, nada mais justo lembrá-lo agora, que o campeonato está na mão dos colorados outra vez.

Que o Grêmio comece a retomá-lo hoje, fazendo os 2 a 0 que eu imagino.

O esquema, na minha opinião, deve ser o 3-5-2, com Alex Mineiro e Jonas na frente.

É ilso. E dálhe Grêmio!

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

Time reserva?

Ainda não temos dois times, mas alguns suplentes são de luxo!

Começando pelo artilheiro da temporada e virtual titular "Maike" Taison! O piá tá jogando tanto que os piadistas da cobertura esportiva brasileira (leia-se GLOBO) já falam em "nocautes" e "knockdowns" pras jogadas e golaços do guri... O bom é que ao que parece ele não tá nem aí! Continua jogando com o objetivo de divertir - a si mesmo e a torcida - e utilizar as ferramentas que possui pra, no bom sentido, humilhar o adversário.

Jóia rara da longa linhagem de atacantes e meias franzinos e habilidados do Inter. São incontáveis na história centenária colorada, outra hora falo mais disso.

Kléber é O lateral-esquerdo! Em seis meses estará de novo na seleção. Andrezinho será o reserva imediato para D'ale ou Alex, dependendo do jogo. Marcelo Cordeiro vai colocar o Marcão como terceira opção. Arílton ainda discreto, mas mostrou potencial. Tomara que ganhe confiança entrando durante os jogos. Talles Cunha é bom atacante, mas ainda muito jovem. Glaydson e Rosinei equivalem-se, medianos e nada mais. E assim a Ulbra, que chegou a assutar logo a 2 minutos de jogo, sucumbiu ao mistão colorado...

Os gols do jogo por ângulo de torcedor. Olha como parecem "simples" as conclusões do Taison e o cruzamento do Kléber! Pra quem tem habilidade é barbada mesmo...

E domingo o primeiro clássico GRE-NAL do ano! Mais dois dias de despistes, contusões falsas, escalações e treinos secretos, entrevistas cuidadosas... Pra tudo se resolver na bola, no campo!

O Inter chega em melhor momento e tem um time mais estruturado e definido que o Grêmio. Só que em clássico isso muitas vezes quer dizer muito pouco. Quem pelear mais terá vantagem, simples assim!

Uniforme do centenário: Camisa vermelha sem detalhes brancos, símbolo limpo e número "redondo". Muito bala!

Números do Inter na temporada:
5 Jogos
1 empate (Inter 0 x 0 Santa Cruz)
4 vitórias (São José 1 x 3 Inter; São Luiz 0 x 1 Inter; Inter 4 x 0 Sapucaiense; Inter 4 x 1 Ulbra)
Gols
5 Taison
2 Nilmar
2 Andrezinho
1 Marcelo Cordeiro
1 Alex
1 Talles Cunha
Assistências
1 Magrão
3 Marcelo Cordeiro
1 D’alessandro
1 Talles Cunha
1 Kléber

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

Pendura aí, chefia!


Vamos dar o crédito. Nosso amigo, o Seu Celso, aprontou uma feia. Esse menino cresce, sobe na vida, alcança altos salários, colegas de trabalho respeitáveis, sub-chefes capacitados, subalternos que doam a vida e o sangue pelo patrão e pela empresa. Mas ele, coitado, vez ou outra faz das suas. Por isso, pendura a derrota dos 3 a 1 na conta do Seu Celso aí, chefia!

Desta vez nosso treinador mandou um time inteiro de reservas para enfrentar o Veranópolis na Terra da Longevidade. Inteiro de reservas não, já que três ou quatro ainda nem saíram dos juniores. Já comentei antes que motivo pra poupar não tinha, a não ser que Seu Celso quisesse botar os pés do Grêmio no chão depois de duas goleadas de cinco.

Verdade é que nunca vi poupar time no quarto jogo do ano. Tampouco foram raras as vezes que vi um time desentrosado se dar melhor fora de casa em cima de um adversário entrosado e cheio de gana.

Mais verdade ainda é que o árbitro era cagão e o que os jogadores gremistas só honraram o manto quando foram pra peleia braçal. No jogo, o time foi sofrível. Reinaldo? Makelelê? Ortemam? Nem Jadílson conseguiu jogar direito. Adílson foi "bem mediano". E coitado dos gurizinhos lá atrás. Botar dois fraldinhas de 17 anos na zaga é demais, né Seu Celso.

Só que, também não vou ficar me lamuriando. É que simplesmente não vi vantagem alguma em escalar aquele time ontem. O jogo só valeu pelo gol de Jonas, atacante precisa de gol.

Assista se tiver coragem


Números do Grêmio em 2009:

Jogos oficiais: 4

Vitórias: 2
*Grêmio 5 x 0 Esportivo
*Novo Hamburgo 1 x 5 Grêmio

Empate: 1 (Inter de Santa Maria 1 X 1 Grêmio)

Derrota: 1 (Veranópolis 3 x 1 Grêmio)

Gols
3 do Souza
3 do Tcheco
2 do Ruy
2 do Jonas
1 do Alex Mineiro
1 do Rafael Marques

Assistências
2 do Souza
1 de Fábio Santos
1 de Alex Mineiro
1 de Ruy
1 do Tcheco
1 de Reinaldo

"Que tu colha sempre todo dia...

... Paz e alegria na lavoura da amizade!"
Parabéns ao sócio aqui da bodega pelo seu aniversário! Que tu tenha um baita ano em todos aspectos da tua vida, EXCETO no que diz respeito ao esporte bretão!
No aguardo da análise sobre o embate de ontem...

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

Origens

Sou goleiro. Não que seja bom, mas quem enverga o 1 imaginário às costas entende. Ser keeper é mais que uma simples posição no jogo, é um lifestyle, como se diz em bom português. Número um nesse caso não quer dizer o melhor, mais sim o primeiro a pagar o pato pela derrota.

Tive minha temporada de Taffarel – meu grande ídolo de infância – em 1999. Aos 13 anos já jogava há pelo menos duas “temporadas” com adultos (quando faltava goleiro nas peladas do meu pai e dos amigos dele, adivinha quem segurava a bronca?), e cada vez mais ficava confiante nas minhas habilidades como guarda-metas. O time da minha sala treinou um ano inteiro, durante a educação física e em jogos de final de semana, para o campeonato de futebol de salão do colégio.

(Escalação titular: Felipe no gol; Marcelo de fixo; Eladio “Peruca” e Vicente “Saco” nas alas; Lucas “Jucão” de pivô. Assim como todo grande time, goleiro e zagueiro não precisam de apelidos. Fomos vice-campeões, mas legítimos campeões morais).

Para chegar ao ginásio do SESI no qual o técnico/professor Betinho treinava os times A e B, era obrigado a passar pelo Parque Getúlio Vargas. Em Canoas todo mundo conhece o local por Capão do Corvo. Depois das seis da tarde era perigoso passar por aquelas bandas, mas o goleiro da 81 caminhava por lá de manhã cedo, uma tranqüilidade só. Amplo, arborizado e com várias quadras e campos de futebol, o Capão era utilizado por famílias, idosos, desocupados e atletas, profissionais ou não.

Por diversas vezes naquele ano pude ver o time profissional do Canoas Futebol Clube treinando no campo principal do parque. Naquela hora da manhã os jogadores apenas trotavam ao redor do gramado ou faziam rodas de bobo. Todos trajando preto e laranja, cores do extinto clube, muitos de abrigo em função da baixa temperatura. Mas os goleiros já cumpriam sua rotina demolidora de treinamentos. Primeiro a entrar, último a sair.

Paulo Roberto, o Coelho, lateral que jogou no Grêmio e no Cruzeiro, dava seus últimos cruzamentos rumo à aposentadoria no clube canoense. Gostava de observar os jovens do elenco conversando com ele, a atenção que ele despertava em todos.
Ficava lá vários minutos olhando as saídas dos goleiros, a maneira de bater tiro de meta, a interceptação nos cruzamentos laterais, o treinamento de explosão. E depois seguia para o meu treinamento, a minha preparação, a minha meta daquele ano: ser campeão.

Assim como nosso time, o Canoas foi vice-campeão naquela temporada. Da terceira divisão do Campeonato Gaúcho. Não que na época eu soubesse disso, todas minhas atenções estavam voltadas pro Inter. Nunca vi um jogo de futebol profissional na minha cidade, até porque o Gigante da Beira-Rio estava apenas alguns minutos de distância. Minha infância futebolística foi no concreto da geral ou da superior do estádio Colorado. Para me informar sobre esporte lia o Correio do Povo, nunca o Diário de Canoas. Mas aqueles treinos nunca sairão da minha memória. Aqueles caras jogavam num time modestíssimo, mas eram JOGADORES PROFISSIONAIS DE FUTEBOL! E vê-los ali, correndo na mesma pista atlética que eu corria para os (matadores!) testes físicos do colégio, alimentava minhas esperanças pré-adolescentes de um dia jogar bola de verdade.

-x-

Amanhã o Inter recebe a Ulbra (que agora muitos chamam de Ulbra Canoas). Alguns anos depois do encerramento das atividades profissionais do clube da minha cidade, a Universidade Luterana do Brasil resolveu abraçar o futebol de campo em Canoas. O estádio fica dentro do campus, no bairro Igara (perto da casa do Marcelo, fixo do nosso time!), e as cores da equipe são as mesmas do símbolo da faculdade: branco, azul e vermelho. Uh! Fabiano jogou lá até outro dia, a equipe canoense já se sagrou vice-campeã do Gauchão (2004, Inter campeão), mas... Sei lá, não é o time da cidade, é o time da faculdade!

Ainda falta empatia do Sport Club Ulbra com o povo da cidade para que ele seja aceito como “segundo time” no coração dos torcedores. Tomara que isso seja adquirido com o passar dos anos, mas não nessa quinta-feira.

2x0 pro expressinho Colorado, com destaque pras estréias dos laterais Arílton (incógnita total, vindo do Coritiba) e Kléber (esperança de qualidade na esquerda). Além disso, será a primeira chance como titular pro prata da casa Talles Cunha. Com os laterais mais soltos, vamos ver como Tite vai armar o meio de campo. Boa chance pro elenco como um todo pegar ritmo de jogo e pro Taison continuar jogando bem e pegando confiança.



Ulbra 1 x 2 Inter- Tricampeonato Gaúcho em 2004. Bolívar, Nilmar, Clemer e Edinho faziam parte do time comandado por Muricy Ramalho. Nilmar fez o gol do título.

www.ulbra.br/esporte