quarta-feira, 25 de março de 2009

Pré-classificação

Passei por Cochabamba quando fui a La Paz, em agosto de 2007.

Passei à noite e vi de longe uma grande cidade iluminada. Passei mesmo, a 80km/h, dentro do busão sacolejando, com pressa de chegar em La Paz.

Mesmo assim, posso dizer que a altitude ali (cerca de 2,5 mil metros sobre o nível do mar) não é tudo aquilo. Em La Paz (quase 4 mil msnm), é pior, mas, como já escrevi outras vezes, não poderia ser um obstáculo tão levado em conta pelos times brasileiros.

Podia ser antigamente. Hoje não.

Porque nos dias atuais é possível simular a altitude em laboratório, digo, no vestiário, no Olímpico, em Porto Alegre ou em qualquer outro lugar do mundo. Há aparelhos pra isso.

E eu, em La Paz, senti um pouco (me perdoem os que já escutaram esta história). Mas sou eu, 70kg, seco igual uma vara verde, carregando uma mochila grande nas paletas, mais de 20 horas sem uma refeição.

Um jogador de futebol, com preparador físico, nutricionista, psicológico, não pode sentir os mesmo sintomas que eu.

Por isso, como o Grêmio não reclamou em Tunja, creio que não reclamará em Cochabamba.

E quem joga Libertadores, o maior campeonato do mundo (!), não pode se michar pra uma altitudesinha, convenhamos.

Por isso, aposto que o Grêmio também passará pelo saco de pancadas do grupo. O Aurora tomou três de cada, de La U e de Boyacá.

Mas acho que pro Tricolor será mais peleado, como sempre. Aposto no 2 a 0, gols de Jonas e Maxi López, como comentei lá no Grêmio Copero (tem até uma promoção no site – eles dão camiseta pra quem acertar – passe lá e aposte).

Só o salto-alto atrapalharia os planos do tricolor. E vencer significa ficar próximo da classificação.

Saiba mais sobre o Aurora, que joga hoje sem Hurtado, convocado para a Seleção Boliviana.

http://www.clubaurora.com.bo/

LA REBELDÍA DIO ORIGEN AL NACIMIENTO DE AURORA
Fue un grupo de estudiantes, reunidos en la Plaza Colón, los que crearon al equipo del pueblo. Se rebelaron y desde entonces está vigente esa pasión por el flamante campeón de la Liga.

AQUELLA MADRUGADA del 27 de mayo de 1935, frente al Instituto Americano, situado en ese entonces en la plaza Colón, nació el Club Aurora, uno de los clubes más importantes del fútbol cochabambino y nacional.

El cielo despejado que presentaba el alba de aquel día fue motivo de inspiración para los jóvenes estudiantes, que se trasnocharon en busca del apelativo que llevaría esa institución. Fue así que Juan Cerruti, el primer presidente, y sus compañeros contemplaron en la alborada el firmamento que exponía su celeste infinito, motivo suficiente para bautizar al equipo naciente como "Aurora".

4 comentários:

Felipe Conti disse...

Aizá, miúdo gaudéria a história desse time!
Acho que vão relembrar da madrugada de 1935 e sapecar 1x0 em vocês hoje! hehehehehe

Gonçalves disse...

Bah secar com esses times do grupo do Grêmio e a mesma coisa que secarem o Inter no Gauchão.

André Colombo disse...

Ai eles querem falar que Libertadores é o Campeonato mais difícil das Américas. "Mais desejado sim" porem a alguns anos deixo de ser o mais difícil !!! E o Grupo do Grêmio é o exemplo de quanto pode ser tão medíocre a atual situação da Copa Libertadores da América.
Falem o quanto quiserem, mas Sul Americana ta 2x mais complicada, mesmo sem valer nada como as gazelas falam, de se ganhar !!!

Dexter PPT disse...

Lembre-se, Grêmio perdeu TODAS partidas fora de casa e mesmo assim, chego a final! Que campeonato é este ?